Segunda-feira, 12 DE Julho 2010

Cerca de 1 mês e 64 jogos depois, a Jabulani deixou de rolar nos relvados da África do Sul. Merecidamente, a Espanha sagrou-se campeã do mundo, após de ter brilhado no Europeu de 2008. Uma geração de jogadores que justifica todos os elogios. Terminada a competição, espaço para uma avaliação final: os intérpretes que mais encantaram os adeptos do futebol, os aspectos menos positivos do torneio e os momentos que deixam saudades.

No meio de 32 selecções nacionais, entre centenas de jogadores, não resulta tarefa fácil determinar um onze-base com os melhores. A escolha é sempre subjectiva, sujeita ao gosto pessoal de cada um. De qualquer modo, aceito o desafio. Respeitando o sistema táctico 4x2x3x1, por sinal o esquema utilizado pelas selecções presentes na final – Espanha e Holanda – aqui ficam os meus 11 heróis do Mundial 2010:

Na baliza, Iker Casillas, o experiente guarda-redes do Real de Madrid. José Mourinho pode dormir tranquilo. No lado direito da defesa, Sergio Ramos. Ao centro, o alemão Arne Friedrich e o capitão do Barcelona, Carles Puyol. Na esquerda, um outro capitão, mas da selecção ‘laranja’: Gio Van Bronkhorst. De uma maneira ou de outra, todos eles foram muito importantes na caminhada da sua selecção. No meio-campo, o duplo-pivot poderia ser constituído por Xavi e Wesley Sneijder, ‘príncipes’ deste mundial e respectivos comandantes das equipas que pisaram o palco da final. Quanto ao trio mais ofensivo, as dúvidas desaparecem: Thomas Muller (Bota de Ouro e melhor jogador jovem), Diego Forlán (Bola de Ouro ou melhor jogador da competição) e Andrés Iniesta, marcador na partida decisiva, acabam por reunir algum consenso. Por fim, na frente, o jogador que falta: o avançado David Villa, também com 5 golos na contagem pessoal.

No entanto, seria tremendamente injusto não mencionar mais uns quantos jogadores que, de uma maneira ou outra, se destacaram positivamente: o guardião holândes Stekelenburg, o lateral uruguaio Maxi Pereira, os defesas Piqué e Capdevilla (a partir da fase a eliminar, a Espanha não sofreu qualquer golo), a dupla móvel alemã servida por Khedira e Schweinsteiger, a velocidade de ponta de Robben e/ou a capacidade de finalização de Suárez e Miroslav Klose. O lote disponível é enorme, pelo que o tempo irá encarregar-se de dar valor a quem merece ser distinguido.

Finalmente, terminada a competição, o que fica deste torneio? Quais os pontos mais, ou menos, positivos do maior espectáculo do mundo no continente africano? O que deixa saudades e o que não correu conforme o esperado? Em frases curtas e directas, vamos ao + e - do mundial 2010 disputado na África do Sul:

+

A consagração do (bom) futebol espanhol. O equilíbrio da competição. A incerteza do resultado. O bom comportamento registado nas bancadas. A inexistência de conflitos entre os adeptos. O clima festivo, e colorido, num país com intensas dificuldades sócio-económicas. A cobertura, detalhada, da imprensa nacional e internacional. As melhores jogadas. Os melhores futebolistas. Os golos. O Maradona. As beldades Larissa, Sara Carbonero, entre outras. O polvo Paul. As frases, imagens e vídeos que ficam para a história. O mundial, em si mesmo. Agora, só daqui por 4 anos.

-

O tardio amadurecimento do futebol africano, excepção feira para o Gana. A decepção de algumas selecções europeias (França, Itália e Inglaterra). A participação discreta da equipa nacional. A falta de ambição (realismo?) do seleccionador. A cuspidela de Cristiano Ronaldo. As análises e comentários de alguns jornalistas da nossa praça. As vuvuzelas. A chuva. O estado dos relvados. O (excessivo) pragmatismo táctico. A aposta no paradigma defensivo. A quebra na criatividade e imaginação. A raridade do talento puro. Na generalidade, o fraco futebol apresentado. Tempo, agora, para despedir-me deste espaço.

A todos os leitores, agradeço os comentários elogiosos aos artigos de “táctica” e louvo a participação activa durante este longo mês: sem vocês, o blogue Jabulani não tinha a atenção e crédito que também fez por merecer. Aos meus ‘colegas de bancada’ agradeço a oportunidade de contribuir, não tanto como gostaria é certo, para o engrandecimento deste projecto, na certeza de que o resultado superou as melhores expectativas. Até daqui por 4 anos ou, na melhor das hipóteses, quem sabe, durante o Europeu de 2012. Abraço a todos e obrigado!

publicado por stadium às 11:04
Posiivo: Larissa pois claro. Venham mais jogos do Paraguai.

Negativo: Vuvuzelas. Porra q massacre!!!!
Pedro a 12 de Julho de 2010 às 12:13

Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
fantasy league jabulani
fantasy league jabulani (clica na imagem)

Jabulani Fantasy League

Código - 361892-84570

arquivos
2010
pesquisar neste blog
 
Jabulani Blog

Divulga também a tua página
últ. comentários
o craque do jogo foi o cavani
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Agora que o Mundial de futebol terminou, importa r...
Não sendo propriamente um criativo de futebol, que...
Sr. Gonçalo Sousa, você não foi para aqui chamado....
Se vais pelo número de jogos não podes por o Coent...
Isto é incrível.Qualquer merda hoje em dia tem um ...
Calça meia grossa, Ribeiro
Posts mais comentados
blogs SAPO