Segunda-feira, 28 DE Junho 2010

Crónica mais fácil de fazer até agora. Depois de um domingo cheio de emoções fortes este confronto sul americano passou pelo Mundial sem deixar saudades. O Brasil confirmou o seu favoritismo e a vitória foi tão normal quanto aborrecida.

O suspense e o interesse do jogo durou pouco mais de meia hora. Até aí vimos o habitual Chile irreverente de Bielsa virado para o ataque sem grandes preocupações defensivas o que não era muito aconselhável para quem defrontava desfalcado dos seus centrais uma equipa como o  Brasil. O jogo não dava grandes sinais de qualidade com os canarinhos a adaptarem-se a alterações na sua habitual estrutura em campo porque não havia os mal amados Elano e Felipe Melo estando no seu lugar Ramires e Dani Alves que imprimem um ritmo incomparavelmente mais rápido às transições do Brasil para o ataque. Muitas dificuldades para articularem o seu jogo atacante e incomodados com o atrevimento chileno.

Até que aos 35' surgiu o golo como os brasileiros dizem "mais sem graça": pontapé de canto cabeça de juan e 1-0. Acabava aqui a história desta eliminatória porque 3' depois veio o habitual golo de Luiz Fabiano completamente solto após boas desmarcação em que fica isolado e faz com toda a facilidade o 2-0.

Ao intervalo já estava tudo decidido apesar de Bielsa ter tentado mudar tudo para conseguir ainda fazer um golo que incomodasse o Brasil. Mas tudo decorreu com a normalidade que a diferença de qualidade entre jogadores costuma ditar. Destaque para o facto de Ramires apesar de assinar boa exibição , coroada com grande jogada recuperando bola a meio campo e levando-a de bandeja a Robinho para este fazer o 3-0, viu um amarelo e perde o próximo jogo.

Jogo aborrecido de resultado previsível que ditou mais um grande clássico nos 1/4 final entre Brasil e Holanda. Brasil passou sem esforço e sem encantar, como sabemos isto é meio caminho para serem favoritos à vitória final. Uma palavra final para o Chile que trouxe um futebol positivo a este Mundial e cumpriu a sua tarefa de passar a primeira fase. Caír com o Brasil não é drama para ninguém.

 

Melhor em Campo: 4 JUAN

publicado por J.G. às 22:41
Sexta-feira, 25 DE Junho 2010

Guarde-se os jogos deste Grupo H num dvd para que se possa mostrar a quem quiser entender o que é a falta de lógica total em alta competição no futebol. Um grupo que desafiou todas as teorias para que jornada a jornada as equipas tratassem de baralhar as contas todas.

À entrada para este último jogo o cenário era dramático para Chile e Espanha, isto porque os campeões da europa tinham de vencer para não irem embora e os sul americanos não podiam perder sob pena de as suas duas belas vitórias não servirem para nada em termos de qualificação. Isto porque era de esperar que Suíça despachasse as Honduras sem problemas.

Portanto era de esperar uma entrada a matar dos espanhóis mas tudo o que se viu foi apenas uma tentativa num remate de Torres ainda em recuperação de forma. De resto só deu Chile. Futebol alegre, solto, ofensivo, aberto e a Espanha a ter muitos problemas para agarrar no jogo. E quando se pensava que podia sair um golo do Chile surge um contra ataque pela esquerda com Torres a tentar chegar a uma bola que surpreendentemente é roubada pelo guarda redes Bravo que foi quase até à linha lateral defender, só que a bola sobra para Villa que atira de primeira para a baliza em arco num golo cheio de classe. E assim a Espanha passava de aflita a líder do grupo. Só com um golo inesperado.

Esperava-se forte reacção chilena mas o que se viu foi uma tentativa de suícidio ao consentirem o 2º golo e ao mesmo tempo ficarem reduzidos a 10 por expulsão de Estrada!37' e Iniesta dava descanso à Espanha que de repente ficou confortável para ser apurada.

Ao intervalo estranhava-se o empate a zero da Suíça que continuava a ameaçar baralhar as contas caso marcasse. Por isso esperava-se uma entrada forte do Chile na 2ª parte. Confirma-se o chile a procurar um golo que aparece por Millar aos 47' e dá todo um novo alento ao jogo. Adivinhava-se um ataque à baliza de Casillas e sofrimento para os espanhóis. Mas mais uma vez as previsões falharam. A Espanha acentou o seu jogo e passou a controlar a partida. O Chile ia começando a acreditar no milagre das Honduras se aguentarem contra a Suíça.

O resto do jogo acabou por ser morno contrariando as altas expectativas, a culpa foi do outro jogo do grupo que caminhava para o fim a zero.

Afinal a derrota serviu ao Chile e a Espanha teve um 3º jogo muito mais tranquilo do que pensava.

No fundo, houve justiça neste grupo e passaram mesmo as duas melhores equipas e isto é que é uma surpresa total, justiça no futebol é coisa rara.

Segue-se um duelo sul americano entre Brasil e Chile e um duelo Ibérico. Até hoje nunca perdemos com espanhóis em fases finais de Europeus, porque esta vai ser a estreia da "guerra" ibérica em Mundiais.

 

Melhor em Campo: 21 DAVID SILVA

publicado por J.G. às 21:42
Último dia de grandes decisões para os grupos G e H. Brasil está seguro na próxima ronda. Portugal, Costa do Marfim, Espanha, Chile e Suiça ainda não. O que irá acontecer? Não percam o próximo desafio, porque nós também não!
Até ao último suspiro do guerreiro? (Coreia do Norte - Costa do Marfim; 15:00; Estádio Mbombela)

Coreia do Norte Coreia do Norte Costa do Marfim Costa do Marfim
A meu ver o jogo poderá ser personalizado nas características de dois jogadores, guerreiros deste deporto bonito: Jong Tae-Se e Didier Drogba. Todos os outros colegas de equipa, serão meras personagens secundárias, face ao peso que cada um destes atletas transmite à equipa. As características de ambos reflectem quase com precisão cirúrgica o que esperar deste encontro.
De um lado, os "elefantes" irão entrar com tudo em busca do sonho à distância de pelo menos 10 golos e uma derrota portuguesa. Concentremo-nos apenas da necessidade finalizadora. Precisam de um verdadeiro "peso-pesado" dos goleadores.
"Ena! Que sorte a Costa do Marfim ter o actual melhor ponta-de-lança mundial na sua equipa!", dirão muitos, inclusivé católicos e mulçumanos daquele país africano (como o futebol une religiões!). Mas, Drogba tem a asa ferida, pelo que o seu voo poderá não ser tão alto. Para além disso, tal como toda a fera precisa de ser bem alimentado. Será que há gente para fazê-lo? Talvez haja. Ou, talvez o seu técnico nórdico, poderá trazer a frescura de ideias que precisam após a exibição frente o Brasil. Ou, talvez encontre um adversário em busca do seu derradeiro momento de glória?
Quem conhece a Coreia do Norte, conhece Tae-Se. Este jamais virará a cara à luta. Será uma seta apontada às balizas marfinenses. Como? Em venenosos contra-ataques. Desde já coloco a seguinte pergunta: será que Tae-Se irá conseguir concretizar um dos seus sonhos, i.e., marcar um golo no mundial? Sou corajoso em responder que SIM! Podem cobrar-me depois, mas penso que é daqueles jogadores que merece o golo.

Prognósticos da "Jabu": vejo Drogba a marcar, mas também vejo o Tae-Se a marcar, quem der o último suspiro mais cedo poderá sair vencedor.

Engraçado como as características destes dois grandes atletas estão sintonizadas com as estratégias que cada equipa terão em campo.
Personalização (Portugal - Brasil; 15:00; Estádio de Durban)

Portugal Portugal Brasil Brasil
Em terra onde cresceu um dos nossos mais grandiosos, aqui fica a minha homenagem, que traga alguma inspiração e genialidade para "os navegadores", como o seguinte texto:
O Infante

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!

Fernando Pessoa, in Mensagem
É verdade caro Pessoa, mas também falta ainda cumprirmos a passagem à fase das eliminatórias... concentremo-nos nesta etapa então.
Para Portugal e Brasil, o empate é claramente um bom resultado. Nem sequer podemos falar sobre as hipóteses de passar em primeiro ou em segundo ser bom para uma ou outra selecção. Neste menú, quem escolherá são os dois primeiros do grupo H.
Os nossos irmãos (ou será filhos?!) brasileiros, têm um potencial futebolístico inegável. Contudo, partem para este mundial com o rótulo de penta-campeões, com tiques de actuais campeões e sempre a fazer publicidade ao sonho do hexa-campeonato. Não tenho problemas com o primeiro e terceiro apontamento. Mas, o segundo... nniiiééé (à Scolari!), é que não posso concordar, sobretudo com o futebol apresentado. Dunga está literalmente a efectuar um ensaio científico em pleno mundial. Procura responder à seguinte questão: será que a maneira de jogar de um campeão à 20 anos atrás poderá ser aplicada com sucesso na actualidade? Até agora tem tido sucesso, mas com a qualidade que tem à sua disposição, não seria esperar algo mais? Penso que sim. Como tal, entendo algumas das críticas da imprensa "brasuca".
Sem Kaká, o seu número "10" de eleição, e com Elano em dúvida, Dunga, apenas poderá contar com um Luís Fabi"mano" (um puro discípulo de Henry) e um irrequieto Robinho, que agora deu para ser assistente. Como podemos notar, não é um problema de individualidades, até porque Ramires e Júlio Batista poderão ser opções para o meio-campo, tal como Nilmar e Grafite para o ataque da canarinha. O problema é que o Brasil teima em apresentar futebol fluido e entrosado, a não ser um ou outro rasgo individual. Depois, há a questão do ritmo que joga. Frente aos norte coreanos e costa-marfinenses, parecia que estávamos a assistir um encontro do brasileirão. Muito lento para quem se diz ser uma selecção "europerizada". Salientar que está prevista outras mexidas no onze canarinho, como por exemplo Daniel Alves por Maicon.
Sobre o "clube" nacional, Carlos Queiroz prometeu que não iria fazer alterações até porque só a vitória (ou empate) permite a Portugal a passagem à próxima fase. Assim sendo, e como uma alteração táctica deverá estar fora das cogitações Queirozianas (ou talvez não!), algumas dúvidas persistem:
i) Será que Cristiano Ronaldo irá jogar a titular, ou irá ser poupado devido ao seu amarelo?
ii) Será que Liedson e Duda irão ser o titulares ou Hugo Almeida e Fábio Coentrão irão continuar a merecer a confiança do seleccionador?
iii) E, PP, será que ele irá ser opção para este jogo?
De qualquer modo, exige-se uma exibição personalizada de ambas as equipas. Uma porque precisa aliar os resultados às exibições, a outra necessita de dar continuidade às suas exibições.
Prognóstico da "Jabu": RESERVADO! E o vosso?
Será o Chile capaz de efectuar a terceira surpresa deste mundial? (Chile - Espanha; 19:30; Estádio Loftus Versfeld)

Chile Chile Espanha Espanha
Pouca gente tem dado importância a um pormenor que poderá ser um valente por"maior": e se a Espanha perder frente ao Chile?
Ninguém quer saber desse cenário, pois Espanha, actual campeã europeia, detentora do título "joga bonito" da fase de apuramento para este mundial (e com todo o mérito diga-se!), é muito improvável que se dê mal neste encontro, sobretudo, perder. Então e empatar? Bem, poder podia... mas com Villa, Torres, Llorente, Silva, Iniesta, Pedro, Navas, Xavi,... é realmente improvável!
Contudo, o Chile não é uma equipa qualquer e tem as suas armas. Aliás, o Chile é na realidade o homólogo sul-americano do bom futebol praticado pela Espanha. A sua performance durante o apuramento, fala por si. A forma de jogar é idêntica, embora o posicionamento dos seus atletas em campo seja diferente. Valdívia é o mago da companhia, mas Fernandez é o assistente perfeito. O coelho que sai da cartola é concerteza o artilheiro Suazo (falo do Humberto e não do David pessoal do jogo da "gralha"). Em termos defensivos, a polivalência de seus atletas faz com que seja uma equipa muito coesa lá atrás.
Prognóstico da "Jabu": o Chile precisando de apenas um ponto e tendo em conta que com esse empate pode igualmente eliminar desde já um adversário de peso na luta pelo ceptro mundial (caso a Suiça vença o seu encontro e a Espanha empata, quem passa são os suíços!), a Espanha com alguma urgência em chegar ao golo, a manha sul-americana, poderá retirar dividendos. Será concerteza um encontro com ouvidos no Suiça - Honduras, pois será desse jogo que a partir de certa altura haverá pressão extra.
Uma doce despedida ou uma doce passagem? (Suiça - Honduras; 19:30; Estádio Free State)

Suíça Suíça Honduras Honduras
A Suiça entra no último encontro com melhores probabilidades de passar à próxima fase que a Espanha, pelo menos a avaliar pelo grau de dificuldade que o adversário coloca. No entanto, salienta-se que a turma de David Suazo e dos irmãos Palacios ainda não marcou qualquer golo nesta competição. Ou muito me engano ou isso significa que as Honduras quererão pelo menos despedirem-se deste mundial com um resultado positivo. Se terão talento para tal, essa será a pergunta que veremos ser respondida esta noite.
Com a Suiça a ter que assumir o jogo, as Honduras terão mais uma oportunidade para acertar o seu contra-ataque. Será que vão conseguí-lo? Por seu turno, a capacidade ofensiva da Suiça será colocada em xeque frente a um adversário que tentará a todo o custo fazê-los provar do mesmo veneno com que brindaram a armada espanhola. Será finalmente a noite que tanto anseia Alexander Frei?
Prognóstico da "Jabu": Suiça deverá vencer, apesar de tudo, pois são muito fortes nas bolas paradas. No entanto, se as Honduras surpreenderem primeiro, as coisas poderão ficar bem amargas para os suiços.

PP

PS: Como habitual, qual é o "jogador-gralha" do texto?

 

publicado por jabulani às 10:59
Segunda-feira, 21 DE Junho 2010

Chile confirma as boas indicações deixadas na qualificação e no jogo inaugural contra Honduras. Voltou a mostrar bom futebol ofensivo e depois de contribuir para um recorde da Suíça esperou 10' para o quebrar.

A Suíça também confirmou a impressionante capacidade defensiva que tem vindo a dar alegrias ao seu povo.

Mas hoje a opção por uma postura defensiva foi mais forçada por uma expulsão polémica aos 20' de Valon Behrami, o primeiro helvético a ver um vermelho em Mundiais. Até aí a Suíça mostrou capacidade ofensiva e vontade em dar continuidade à grande vitória sobre a Espanha. Com menos um os europeus adoptaram o jogo defensivo que tinham mostrado no primeiro jogo e tudo estava a correr bem até ao intervalo com o Chile a não conseguir ultrapassar o nosso bem conhecido Diego Benaglio.

O treinador chileno arriscou na 2a parte e lançou Mark Gonzalez e Valdivia no lugar de vidal e Humberto Suazo que ainda está longe da forma ideal. O Chile tomou conta do jogo e lançou-se em busca da vitória que foi sendo adiada pela muralha da Suíça que entrou para a história dos Mundiais ao bater o recorde de 550 minutos sem sofrer um golo que pertencia à Itália (entre os Mundiais México 86 e Itália 90). Aumentaram em cerca de 10' esse recorde já que à meia hora de jogo da 2a parte finalmente apareceu o golo de Mark Gonzalez numa cabeça na pequena área não sei que antes a bola ainda tenha tocado na barra.

Estava feito o mais complicado e o Chile ficava isolado neste grupo. Só que a Suíça que voltou a mostrar o quão rigoroso pode ser o ser o seu ataque e muito perto do fim Eren Derdiyok quase que dava o empate numa rara oportunidade de golo. Mas a bola saiu ao lado do poste direito chileno e assim estava consumada a primeira derrota da Suíça que terá ser bem mais ofensiva no último jogo do grupo contra as Honduras.

O Chile está bem lançado para fazer história neste Mundial africano e as equipas sul americanas continuam em grande.

 

Melhor em Campo: 11 Mark GONZALEZ

publicado por J.G. às 20:30
Quarta-feira, 16 DE Junho 2010

Aparentemente encontravam-se nesta primeiro jornada do grupo H as duas equipas com menos probabilidade de qualificação. Mas isto claramente em teoria. Até porque nesta altura que escrevo a crónica já há novidades em relação a este grupo com a derrota da Espanha. O Chile foi sempre a melhor equipa em campo. Venceu com absoluta justiça e deu-me um certo gozo (abro aqui um parêntesis Sportinguista) ver Matías Fernandez jogar. Mas fiquei entusiasmo também por ver Isla, que grande lateral direito, Valdivia, Sanchez, Vidal, Beausejour a trocar a bola. O domínio do Chile foi constante, durou quase os 90 minutos, e pode-se dizer que peca por escassa. Humberto Suazo, o goleador do Chile da fase de qualificação não chegou a jogar, a recuperar de uma lesão nem precisou de sair do banco. E aconteceu também com 2 outros conhecidos, Tello do Chile e David Suazo das Honduras.

O golo do Chile foi marcado aos 35 minutos por Beausejour, numa jogada que começou em Matías Fernandez passe rasgado para Sanchez que cruzou com sucesso para o marcador começar a funcionar.

Com esta vitória do Chile (e da Suiça) as contas deste grupo baralham-se e podemos assistir a uma luta muito interessante entre 3 selecções, já que as Honduras parecem-me claramente uma carta fora do baralho.

 

Melhor do Campo: 15 Jean BEAUSEJOUR

 

 

publicado por J.G. às 14:47
editado por Pedro Varela às 21:39
Sexta-feira, 11 DE Junho 2010

Matias Aguayo nasceu em Santiago do Chile mas passou a parte final da sua adolescência na cidade de alemã de Colónia, o que moldou os trilhos musicais que viria a seguir, entre o house e o techno minimal. Vive entre Paris e Buenos Aires e a partir da capital argentina tornou-se num dos principais contribuidores para o crescimento da música electrónica no continente sul-americano. Foi lá que começou a organizar as célebres "BumBumBox", festas de rua gratuitas que rapidamente levou a outras grandes cidades do continente. Uma das suas particularidades é a utilização de um microfone, criando sons e juntando vocalizações suas, tanto nas gravações como nos sets ao vivo.

 

 

publicado por N.T. às 01:09
Sábado, 05 DE Junho 2010

Espanha


Uma das principais favoritas ao título mundial, a actual campeã europeia fez uma qualificação irrepreensível, vencendo todos os jogos disputados e atingindo a marca dos 2,8 golos por jogo (média apenas superada pela Inglaterra). É uma equipa fortíssima em todos os aspectos. Se Fernando Torres aparecer na sua melhor forma, apresentará umas das mais temíveis duplas atacantes do Mundo. No miolo não há espaço para juntar Xavi, Alonso, Iniesta e Fabregás no 11, motivo mais que suficiente para que os seleccionadores presentes (mesmo Dunga e Capello) se roam de inveja. Na defesa conta com um Piqué em progressiva afirmação e que terá sido a grande figura defensiva da temporada europeia. Sobra ainda aquele que será o trio mais forte de guarda-redes da competição. Serão estes argumentos suficientes para quebrar a malapata dos quartos de final? É que a Fúria Espanhola só derrubou essa barreira numa ocasião. E já lá vão 60 anos...


Homem chave: Xavi Hernández- O melhor jogador do Euro 08 voltou a fazer uma época fantástica no Barcelona. Na sombra do génio de Messi, é Xavi quem coordena todo o futebol 'culé'. Na selecção as coisas não são muito diferentes e é na sua capacidade de liderança, sentido táctico e qualidade de passe que assentará o possível sucesso dos nossos vizinhos.

Suiça

Segunda presença consecutiva em Mundiais, nona no total, é comandada pelo alemão Ottmar Hitzfeld, que fez grande parte da sua carreira como futebolista na Suiça. A inexperiência das Honduras e a juventude do Chile garantem boas perspectivas de passagem aos oitavos de final, mas dificilmente terão capacidade para repetir os quartos de final alcançados em 1934, 1938 e 1954. A sua força reside no meio-campo, onde pontificam o "italiano" Inler, o "francês" Gelson Fernandes, o "britânico" Behrami e o "germânico" Tranquilo Barnetta, mas a coesão defensiva do bloco que actua à frente do nosso conhecido Diego Benaglio é igualmente importante. O ataque estará entregue a Nkufo e ao experiente Alexandre Frei, ambos com 5 golos no apuramento.

Homem chave: Tranquillo Barnetta- O jogador do Bayer Leverkusen é o típico dinamizador do futebol pelas alas, que garante profundidade ofensiva a qualquer equipa. Procura a linha para servir os avançados, mas também pode ser perigoso nas diagonais.

Honduras

Tal como a Nova Zelândia, estreou-se em Espanha e faz agora a sua segunda participação na fase final do Mundial. Em 1982 arrancou dois empates. Curiosamente, um deles obtido frente ao anfitrião, que volta agora a cruzar-se com os 'catrachos'. As Honduras, que poderá ser uma das poucas selecções a surgir na África do Sul com uma táctica de 3 centrais,  apresenta um colectivo equilibrado, mas é no meio-campo e no ataque que se encontram os seus principais destaques. Amado Guvera, de 34 anos, 133 internacionalizações, enverga a braçadeira e lidera a equipa no relvado, auxiliado na cobertura defensiva por Wilson Palacios, figura em destaque no apuramento do Tottenham para as competições europeias. No ataque, apesar do brilho mediático de Suazo, é Carlos Pavon quem se destaca, forçando o ex-benfiquista a recuar no terreno e a servir o ponta de lança em vez de ser ele o servido. E os adeptos ainda choram a ausência, por lesão, de Carlos Costly. Só Pavon marcou mais golos que ele durante o apuramento.

Homem chave: Carlos Pavón- É o melhor marcador de sempre na selecção e já passou 2 vezes pela Europa, mas sem grandes resultados. Primeiro em Espanha, no Saragoça, depois em Itália, na Udinese e Nápoles, marcou um único golo em 29 jogos que se dividem por 3 épocas. Nas Honduras a história é outra e o jogador que, com outro sucesso, também já passou pelos campeonatos mexicano e norte-americano, é o ídolo dos jovens locais. No Real España, da cidade de San Pedro Sula, marcou 19 golos na última época.

Chile

O Chile foi a grande surpresa da qualificação da CONMEBOL, terminado em 2º com os mesmos pontos do Paraguai e o máximo goleador do apuramento: Humberto Suazo, que deverá falha os primeiros jogos da competição devido a um estiramento muscular. Com Claudio Maldonado fora dos planos de Marcelo Bielsa, é Matias Fernandéz quem no relvado lidera uma equipa irreverente pela sua juventude e de pendor nitidamente ofensivo. O sportinguista é bem acompanhado nas alas pela velocidade do extremo Mark González e pelo virtuosismo e poder de explosão de Alexis Sanchez. Regressam aos Mundiais após duas edições de ausência. O Chile, como anfitrião, classificou-se na terceira posição em 1962.

Homem chave: Humberto Suazo- Figura chave no apuramento, actuou em todas as partidas e marcou 10 golos. Menos influente no seu clube, ainda assim disputou metade dos jogos do Saragoça na Liga Espanhola, terminando a época com uma marca interessante: 1 golo a cada 3 jogos. A lesão sofrida a escassos dias do início da competição é a principal dor de cabeça para Marcelo Bielsa.

Opinião

No grupo de onde sairá o possível adversário de Portugal nos oitavos de final, a Espanha é a clara favorita. As Honduras não deverão ter capacidade para ombrear com Chile e Suiça, que entre si deverão disputar a segunda vaga de acesso. Aposto claramente na maior experiência dos europeus.

publicado por N.T. às 22:37
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
fantasy league jabulani
fantasy league jabulani (clica na imagem)

Jabulani Fantasy League

Código - 361892-84570

arquivos
2010
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Jabulani Blog

Divulga também a tua página
últ. comentários
o craque do jogo foi o cavani
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Agora que o Mundial de futebol terminou, importa r...
Não sendo propriamente um criativo de futebol, que...
Sr. Gonçalo Sousa, você não foi para aqui chamado....
Se vais pelo número de jogos não podes por o Coent...
Isto é incrível.Qualquer merda hoje em dia tem um ...
Calça meia grossa, Ribeiro
Posts mais comentados
blogs SAPO