Sábado, 10 DE Julho 2010

Bronze ou o "primeiro dos últimos" no jogo da ante-final (Uruguai - Alemanha; 19:30; Estádio Porth Elizabeth)

Uruguay Uruguay Germany Germany
É um jogo em que nenhum jogador deve achar muita piada, a não ser que o jogador seja daqueles convocados, mas que nunca tenha entrado em campo neste mundial. Para estes será um jogo do tudo ou nada. Para os primeiros... têm que recordar que este encontro vale uma medalha!
Sobre as duas equipas que se vão defrontar hoje, já muito se falou ao longo destas semanas. Duvido que tanto Tabarez com Löw façam grandes alterações de fundo ao modelo táctico e estilo de jogo a utilizar. São duas equipas de contra-ataque, mas duas equipas em que os movimentos são quase totalmente dispares. Para além disso, são dois países tão afastados no globo como podiam, mas que apresentam traços competitivos muito idênticos: o de nunca dar a derrota como certa. É engraçado verificar como o mesmo objectivo pode ser alcançado tão eficazmente por diferentes metodologias, é esse o carácter universal do futebol. E é por isso que gosto muito deste jogo.
Quanto aos artistas que vão estar em campo, destaco para os regressos de Müller e Suarez, dois dos grandes ausentes nos encontros das meias-finais. Atendendo à forma como estavam a jogar nas suas selecções, atrevo-me a dizer que se calhar a história teria sido diferente em ambos os encontros, não acham? Mas, não se pode chorar sobre o leite derramado... outros jogadores que gostaria de ver actuar e que ainda não actuaram neste mundial, pelo menos com mais frequência, são: Lodeiro e Fernandez do lado da Celeste, e, Marin e Gomez do lado germânico.
Destaques do jogo:
i) ForlanCavaniSuarez contra a defesa germânica;
ii) Klose, Müller, Podolski e Özil, contra a defesa uruguaia;
iii) Maxi Pereira contra Lahm: quem será o melhor lateral direito do mundial?
iv) Schweinsteiger e Khedira contra Perez e Arevalo.
Prognóstico da "Jabu": que ganhe o melhor e, dada as circunstâncias que ganhe a equipa com maior força de vontade para disputar este encontro. Antevejo uma vitória alemã, pois tal como em 2006, demonstram sempre uma mentalidade positiva face à adversidade. Contudo, se o Uruguai sair como vencedor, não admiraria nada. Que seja um jogo de golos de outro mundo, de emoção até ao fim e com jogadas esplendorosas.

PP

PS: Sabem a quantos golos está Miroslav Klose de destronar o fenómeno Ronaldo no top da lista dos maiores marcadores em fases finais de mundiais?
publicado por N.T. às 12:32
Quarta-feira, 07 DE Julho 2010
A um jogo da final... (Parte II)
(Alemanha - Espanha; 19:30; Estádio de Durban)
"Contra-ataque Vs Ataque-Continuado", é o que nos reserva esta segunda meia-final do mundial da África do Sul.
Os alemães são mundialmente conhecidos pela sua paixão pela eficiência e optimização. Isso está patenteado em tudo o que fazem, desde a mecânica automóvel até ao futebol.
Metodologia "Mannschaft":
1 - "Não podemos contar com o nosso melhor jogador e capitão Ballack para este mundial? Não há problema! Outros se afirmarão!"
2 - "Não temos um médio defensivo puro para este mundial? Não há problema! Adaptamos um médio ofensivo como o Schweinsteiger!"
3 - "Não temos um ala esquerdo de raíz para ir à África do Sul? Não há probema! Adaptamos um Podolski a essa posição!"
Enfim, poderia continuar com a descrição da forma de pensar germânica, mas não o farei, pois penso que já perceberam a ideia do praticismo com que eles resolvem as coisas.
O seleccionador germânico, outrora conhecido pelo seu penteado, é hoje em dia, para mim, aquele que melhor soube adaptar uma filosofia de jogo positiva ao grupo de atletas que tem à disposição. É uma equipa que se dá bem em ataque continuado, como verificámos na primeira parte sobre a Argentina, mas, é em contra-ataque, ou como muitos chamam, em transições rápidas que verificamos que jogadores como Müller, Özil, Schweinsteiger e Podolski conseguem soltar o verdadeiro animal futebolístico dentro deles.
É, para mim, a melhor EQUIPA deste mundial (reforço a ideia de EQUIPA, muito esquecida ou má interpretada nos dias que correm). É um regalo vê-los jogar, não pelos nomes que têm nas suas camisolas, alguns impronunciáveis, mas sim pelas alegrias que me dão ao vê-los trocar a bola em progressão de forma tão solta, objectiva e sobretudo rápida, sempre à procura de um colega. Um verdadeiro hino!
Frente à armada espanhola, penso que a táctica deverá ser a mesma: um 4-2-3-1. Neuer, será o guarda-redes. À frente dele, uma linha de quatro homens, na qual faria a única alteração nesta equipa: o lateral esquerdo. O seleccionador Löw, começou o mundial com Badstuber, um lateral conservativo e que ataca pela certa. Nos jogos mais decisivos, optou pelo Boateng, um jogador que embora não seja lateral esquerdo de raíz, acaba sempre por não ultrapassar a linha do meio-campo e permite que haja pelo menos 3 jogadores na zona defensiva constantemente. Isto para uma equipa em que os médios centro são tudo menos médios defensivos de raíz, é algo de positivo. Para além disso, Boateng impõe pela sua estampa física, além de que sendo destro, frente a rivais que não procurem a linha e, como ta, flectem para dentro, consegue adaptar-se melhor a isso. Mas, existe um lateral/médio ala esquerdo alemão, que penso que poderia surpreender neste encontro: Jansen. Este é um lateral muito ofensivo e tendo em conta que do outro lado Lahm vai ter um luta titânica com o melhor marcador da prova, o espanhol Villa, vai ter maiores dificuldades em dar profundidade ao lado direito do ataque germânico. Para além disso, o lado esquerdo da defesa alemã, vai apanhar com destros que muito provavelmente tenderão jogar à linha. Com Podolski a ajudar a fechar, penso que Jansen poderia surpreender.
Sendo assim, o quarteto seria o seguinte: Lahm, Meterzacker, Friedrich e Jansen.
No meio-campo, aquela dupla de meio-campo, formada por Khedira e Schweinsteiger é para manter. Entre o meio-campo e o ataque uma linha de três homens será formada por: Müller, Özil e Podolski. Lá na frente, em constante trabalho e mobilidade, o bombardeiro alemão Klose.
Os espanhois são mundialmente conhecidos por serem os actuais campeões europeus e jogarem o estilo de futebol tic&tac. Isto é notório na forma de jogar dos principais clubes espanhois e uma marca da La Liga.
Metodologia espanhola A.C. (after Cruijff):
"os jogadores têm de pensar rápido e jogar com inteligência, sempre sabendo qual será o próximo passe (…). É assim que aprendemos a jogar e que o público espera que joguemos: de forma atraente, mas sem perder a eficiência (…). Cruijff (…) nos ensinou a jogar movimentando a bola rapidamente. Ele só usava jogadores de grande técnica. Quando procuramos por jogadores, ainda queremos essas qualidades", por Pep Guardiola.
Claramente, que Cruijff marcou uma era no futebol de nuestros hermanos. Antes dele era mais um jogo de fúria, muito ríspido e de confronto, muito ligado à clubite. Depois dele, começou-se a elevar os padrões de exigência dos próprios espectadores, pois foi possível juntar à garra espanhola a arte latina. E que bela mistura daí adveio.
O seleccionador espanhol, um homem que viveu toda esta mudança e que acaba por herdar todo um trabalho desenvolvido por um dos clubes de topo mundiais que empresta o seu núcleo duro a esta selecção, caso do Barcelona, decerto que tem sabido aproveitar muito bem todo esse trabalho.
A Espanha, é actualmente, a única selecção do mundo que sabe jogar em ataque-continuado. Bem a Argentina, aprentava saber, mas frente a um adversário como a Alemanha, acabou por salientar as suas debilidades. Ora no caso espanhol, penso que dificilmente veremos isso a acontecer. O percurso deles neste mundial fala por si. É a única equipa que sabe esperar o tempo necessário sem se enervar para marcar o seu golo. É a única equipa que vemos trabalhar para a obtenção do espaço na defesa contrária sem ser por transições rápidas. Isto não quer dizer que não o faça, pois também o faz, mas o facto dos seus adversários tomarem desde o primeiro minuto uma postura passiva no jogo, leia-se, entregar a bola ao adversário e recuar 20 a 30 metros para perto da sua grande área, leva a que os espanhois tenham poucas oportunidades de contra-ataque. Depois, é das poucas equipas neste mundial que sabem jogar com o bloco defensivo praticamente sobre a linha de meio-campo, jogando apenas em metade do campo. Isso pode ser uma faca de dois gumes, pois poderá permitir o contra-ataque adversário. Tal só não acontece porque a hibridez que os seus atletas dão em campo, permite adaptar o posicionamento correcto em cada situação ao longo dos 90 minutos. Ora percebemos que jogam num 4-3-3 (4-1-2-2-1 e 4-2-3-1), ora parece-nos um 4-1-2-1-2, ou até mesmo um 4-1-4-1.
Mas, a equipa também tem as suas debilidades. Capdevilla, embora experiente, é um lateral muito posicional e já tem dificuldade em entrar na velocidade da equipa, daí que seja muitas vezes pelo seu lado que o adversário cria mais oportunidades. Piquet, se não tiver ninguém a marcar é uma arma, mas se tiver alguém que caia na sua zona, ora em choque, ora nas suas costas, certamente que causará estragos. A falta de entrosamento entre Xavi e Xabi Alonso, embora não imperceptível frente a adversários mais fracos, frente a adversários de respeito, poderá ser perigoso. Contudo, também escrevo que esta parceria tem melhorado e muito dentro da competição.
Relativamente, ao onze titular para este encontro, antevejo: na baliza, Iker Casillas; o quarteto defensivo, será formado por Ramos, Piquet, Puyol e Capdevilla; no meio-campo, teremos Busquets, Xavi e Xabi Alonso; no ataque teremos Iniesta e Villa a partirem das alas e Torres ao centro.
Prognóstico da "Jabu": é claramente uma final antecipada. Um verdadeiro tira-teimas entre os dois finalistas do campeonato da europa em 2008. É engraçado verificar como tacticamente as equipas parecerem encaixarem-se. Em termos tacticos, prevejo uma certa vantagem dos espanhois, muito devido à hibridez do seu esquema em que facilmente poderá aparecer um homem entre os médios e a defesa alemã que certamente causará problemas. Mas, em termos técnicos e de jogo colectivo, penso que a Alemanha leva vantagem. É claramente um jogo de tripla.
Destaques do jogo: Villa contra Lahm e Müller contra Capdevilla.
PP

PS: Quem será o goleador deste mundial? Klose ou Villa? Já agora, qual o grande jogador e grande surpresa deste mundial que foi referido, mas que não vai poder jogar este encontro por castigo?
publicado por jabulani às 11:14
Terça-feira, 06 DE Julho 2010
A um jogo da final... (Parte I)

(Uruguai - Holanda; 19:30; Estádio Green Point)
"A arte de bem defender contra a arte de bem atacar", bem que este poderia ser um slogan para atiçar este verdadeiro encontro de candidatos ao título mundial.
De um lado a celeste, que defende como pode, inclusivé com a "mano de Deus" versão uruguaia, não é Suarez? No entanto, embora a sua defesa tem sido o seu abono de família nesta comptição, o Uruguai entra para este encontro com enormes pontos de interrogação sobre qual será a defesa titular. Fucile encontra-se castigado. Os Diego's Godin e Lugano, estão a recuperar de lesões e são incógnitas. Por seu turno, Victorino e Scotti são os únicos que estão sem problemas. O defesa polivalente Caceres, deverá ocupar a vaga de Fucile. Por outro lado, Tabarez, poderá fazer recuar Alvaro Pereira para a lateral esquerda, mas com Robben um esquerdino sobre o flanco direito, deverá optar por um destro como o agora jogador da Juventus. Quem tem lugar cativo na defesa é o guarda-redes Muslera, e, de certa forma, a revelação na lateral direita, Maxi Pereira. No meio-campo, Diego Perez e Arevalo serão titulares indiscutíveis. A vaga sobre a esquerda deverá ser concedida a Alvaro Pereira, mas se as coisas azedarem para o lado uruguaio, certamente que entrará Lodeiro, a jovem promessa uruguaia. A finalizar o meio-campo, se bem que muitos o considerem igualmente um avançado, pelo que é o elemento que dá a tal hibridez ao conjunto celeste, está o "10" Forlan. Sem Suarez, castigado pela excelente defesa frente ao Gana, o ataque será entregue a um Cavani de passada larga e corpo fino como um pássaro sobre o lado direito e a um "el loco" Abreu mais fixo lá na frente, se bem que como esquerdino possa dar alguma largura à esquerda. Esta disposição atacante é apenas tida em conta se o Uruguai jogar na toada normal de contra-ataque. Por outro lado, em ataque mais continuado, os avançados poderão jogar da lateral para o centro, em busca dos seus melhores pés, beneficiando de combinações com o Forlan que tem como missão ligar de forma mais airosa o meio-campo com o ataque.
Sendo assim, as grandes questões que poderemos ter acerca do Uruguai são:
i) Até que ponto a defesa irá-se reflectir das ausências dos cois centrais titulares?
ii) Até que ponto o ataque irá funcionar sem um jogador tão móvel e importante como Suarez?
iii) Até que ponto o impacto de ter jogado 120 minutos intensivos contra um Gana, mais os penalties, e sem um jogador, poderá ter fisicamente frente a uma "clementina" bem mais fresquinha?
Do outro lado a "clementina laranja", que ataca como pode, inclusivé muito à custa de um mágico, não é Robben? Realmente, esta Holanda, embora esteja a triunfar e embora consiga ser a única equipa a dar a volta a um resultado durante os 90 minutos de jogo, ao longo do mundial, ainda não me convenceu relativamente ao sumo do seu ataque. Vive muito à custa a inspiração de Robben no ataque. Penso que com van Persie, Kuyt e Hunterlaar, o técnico van Marwijk pode gerir bem o seu mágico de "cristal". As suas grandes preocupações encontra-se na defesa, com a saída por lesão de Mathijsen (que frente ao Brasil nem se notou a sua ausência tal a qualidade exibicional do seu substituto, Ooijer) e o castigo do lateral direito van der Wiel. Quem deverá substituir este último será o Boulahrouz. De facto, se as coisas forem saindo bem para a Holanda, nem são capazes de verificar grande diferença neste sector direito, pois em situações normais, uma das grandes diferenças desta selecção holandesa, quando comparada com outras de outros mundiais, é que os laterais ficam muito presos defensivamente. Agora, e se as coisas correrem mal?
No meio-campo, De Jong está igualmente castigado. Isto leva a que o técnico holandês possa ter uma de quatro soluções, entre as quais duas são ofensivas e as outras duas são mais defensivas. Para o cenário mais defensivo e que vai de encontro ao que tem utilizado, De Zeeuw ou Schaars são a solução. Para o cenário mais ofensivo, a aposta recai ou em van der Vaart ou em Afellay. Este último, também poderá jogar ou a avançado ou a falso-ala, de melhor forma que o jogador do Real Madrid.
Sendo assim, as grandes questões que poderemos ter acerca da Holanda são:
i) Até que ponto o Boulahrouz vai desempenhar um papel defensivo eficaz, frente a Cavani, Abreu, Forlan, mais Alvaro Pereira?
ii) Até que ponto será justificável utilizar o Robben de início frente a uma defesa que marca tão em cima, como a uruguaia, correndo o risco de lesão do homem de cristal? Que tal apostar-se em Hunterlaar para a posição de van Persie e colocar este numa das alas?
iii) Até que ponto é que o técnico holandês vai continuar a apostar num duplo pivot defensivo quando muito provavelmente com van der Vaart, van Bommel e Sneijder, a dimensão e qualidade técnica do meio-campo holandês poderia suplantar o músculado meio-campo uruguaio?
Prognóstico da "Jabu": muito provavelmente, será pelo lado esquerdo do ataque uruguaio (ou lado direito da defesa holandesa) que este poderá explorar a falta de ritmo de Boulahrouz. Por outro lado, será pelo lado esquerdo da defesa uruguaia (ou lado direito do ataque holandês), que Robben e companhia poderão conseguir passar a muralha chamada Caceres ou Alvaro Pereira. Escrevo este cenário tendo em conta que ambos os treinadores não irão abandonar as suas duplas de meio-campistas mais defensivos. Muito provavelmente, em caso de desvantagem de uma das partes, será através do desfazer de uma dessas duplas a receita para recuperar no jogo. Essa e as apostas nas alas, para o caso holandês, e na subida de Forlan no terreno, para o caso uruguaio.
Destaques do jogo: Forlan e Robben... quem mais?
PP

PS: Qual o jogador uruguaio que se encontra no mundial e já representou um clube do meio da tabela no campeonato nacional? Quem será o jogador do encontro? Será uma das estrelas? Ou será que iremos assistir ao nascimento de uma nova estrela?
publicado por jabulani às 10:27
Sábado, 03 DE Julho 2010
E o último dia dos quartos de final reserva-nos mais dois grandes duelos. A tarde começa com mais uma final antecipada: Argentina - Alemanha. Já à noite, um duelo em castelhano irá dar-nos o segundo último meio-finalista deste mundial. Quais serão os outros dois semi-finalistas?
A final antecipada! (Argentina - Alemanha; 15:00; Estádio Green Point)

Argentina Argentina Germany Germany
Estou a ficar preocupado com o seguinte: depois da eliminação da Inglaterra, depois da eliminação da França, depois da eliminação de Portugal, depois da eliminação do Brasil, começa a faltar candidatos daqueles dignos de entrar numa final e de jogar o jogo pelo jogo, olhos nos olhos. Por isso mesmo, quero desde já dar os parabéns a qualquer uma destas duas selecções que tanto têm dignificado e valorizado o futebol positivo.
A Argentina de Maradona, é uma equipa fenomenal. Tem soluções para todo o tipo de situações de jogo. Conta com o actual melhor jogador do mundo, Messi (mas, CR7, para mim continuas a ser o melhor!). Conta também com um seleccionador que de "parvo" não tem nada e é bem capaz de dar muitas lições de futebol a muitos entendidos de tácticas de papel passado. Para além disso, o homem é um espectáculo dentro do próprio espectáculo. Mas, será que tudo isto é o bastante para seguir em frente?
Vejamos: a alviceleste tem um problemazinho que poderá ser um problemazão, pois está em dúvida o seu central mais experiente, Samuel. Depois, há a questão sobre a forma como a Argentina irá jogar o encontro, ou seja, se irá aplicar o mesmo esquema que tem vindo a usar, ou se irá haver mudanças de forma a reforçar o meio-campo ou a defesa.
Se eu estivesse na pele do Maradona, arriscaria a melhor equipa, ou seja, aquela que melhores resultados deu durante o mundial, com Romero na baliza, um quarteto defensivo com Gutierrez, Demichelis, BurdissoHeinze; um meio campo em "diamante" com o capitão Mascherano, o interior direito Maxi Rodriguez, o rapidíssimo ala esquerdino Di Maria e o "diez" Messi. Lá na frente a dupla está feita entre Tèvez e Higuaín. Com uma equipa destas e com um banco onde só em opções de ataque tem-se Agüero, Milito e Palermo, quem é que estaria preocupado em termos ofensivos?
A Alemanha de Low, é uma equipa. Pode parecer pouco, mas quanto a mim significa tudo. Se formos a ver bem, haverão poucos jogadores que constituem o onze germânico e que a maioria escolheria como titulares para a sua equipa. Isto em comparação até com a constelação de estrelas da alviceleste. Nada de mais errado. Eu próprio tenho andado a pensar como é surpreendente o trabalho técnico na construção desta equipa alemã. Claramente é uma daquelas equipas em que para destacar um só jogador, penso que teria que destacar todos os outros. É de todas as selecções deste mundial aquela que menos dependência possui de um só atleta. Mas, se podessem escolher apenas um, qual seria? Pensei muito, reflecti um pouco mais e... cheguei à conclusão que seria o esquerdino "mágico" Özil em exécuo com Müller. Estes dois simbolizam bem a Alemanha dos tempos modernos, uma sociedade mais multicultural do que alguma vez foi. E esta mistura pelos vistos tem sido explosiva e muito bonita. Pelo menos em termos futebolísticos. Fica aqui a mensagem positiva de união de culturas em torno do desporto.
Mas, não é só de juventude que vive esta bela Alemanha. Estou convicto de que o experiente ponta-de-lança germânico persegue ainda o recorde de Ronaldo, o fenómeno brasileiro. Será que irá atingí-lo? Bem, se conseguir uma média de um golo por jogo até à final...
Em termos de onze base, penso que os germânicos não irão mudar nada só por causa de terem doutro lado a Argentina. Aliás, isto é característica comum da sua forma de pensar e é talvez dos pormenores mais importantes que as culturas latinas deveriam tentar implementar, até porque os alemães têm tido quase sempre sucesso. Sendo assim, conto com a guarda da baliza feita pelo jovem Neuer, o quarteto defensivo constituído por Lahm, Mertezacker, Friedrich e Badstuber. Talvez no posto da lateral esquerda possa surgir a grande surpresa, dado que nos últimos encontros vimos a utilização de Boateng (mais defensivo) e Jansen (mais ofensivo). No meio-campo, um dúo constituído por Khedira e Schweinsteiger. Lá na frente um tridente bastante móvel formado por Müller à direita, Özil ao centro e Podolski à esquerda, todos a alimentar o "bomber" Klose. Com Gomez, Cacau e Kiessling, no mínimo existe elementos de peso no banco, não acham?
Prognósticos da "Jabu": mais um jogo de tripla! Sinceramente, que ganhe o melhor. Que amanhã quem vencer seja realmente merecedor e que o faça com grande arte e engenho. Que ganhe o futebol acima de tudo!
Destaques do jogo: Messi contra... Alemanha? Özil contra Argentina? Será?
Encontro castelhano (Paraguai - Espanha; 19:30; Estádio Ellis Park)

Paraguay Paraguay Spain Spain
A equipa que melhor defende na américa latina, contra a equipa que melhor ataca na equropa, pelo menos actualmente, é este o prato que será servido no jantar deste sábado.
O Paraguai, tem sido uma desilusão em termos ofensivos neste campeonato do mundo, muito embora já esteja nos quartos de final. Não tem sabido aproveitar bem todo o seu potencial ofensivo. Como já tive oportunidade de escrever noutros dias, os guaranis são muito defensivos. Normalmente actuam num 4-4-2 ou num 4-3-3 híbrido. Jogam a um ritmo lento, pois isso beneficia a sua defesa. Contudo, em termos atacantes não beneficia em nada. Aliás, os seus golos ora têm acontecido de bola parada (cantos, livres e penalties), ora têm surgido de ressaltos os roubos de segundas bolas por parte da sua linha média.
No entanto, será desta que Santa Cruz irá aparecer em campo? Ou isso está apenas reservado para os "posts" da Cristina Bessa, ;P? E Cardozo, será que depois do golo que valeu a passagem aos "quartos" irá merecer a confiança do seleccionador para ser titular frente à Espanha?
A Espanha, ao contrário do Paraguai tem sido um regalo em termos ofensivos neste mundial, muito embora Torres tenha andado às turras com as balizas adversárias. Os espanhois são dos que melhor jogam em equipa nesta competição e parece que a cada jogo que passa, as suas debilidades são cada vez menores. No jogo frente aos "navegadores", a armada espanhola apresentou um futebol bem mais seguro e soube sempre responder com arte e engenho aos pormenores tácticos do adversário. Liderados por um Xavi a meio-campo, um Piquet na defesa, um Casillas a proteger as redes e um Villa mortífero, eis a Espanha, candidata à passagem às meias-finais.
A táctica, bem essa é motivo de debate, pois é das equipas mais híbridas que está neste mundial.
Prognóstico da "Jabu": embora seja um jogo de quartos de final e com toda a carga emocional que daí advém, penso que o Paraguai não tem o que é realmente necessário para surpreender esta Espanha que executa bem e rápido. Penso que será um encontro totalmente desnívelado, jogando-se praticamente no meio-campo do Paraguai. Pelo menos é isso que os guaranis têm oferecido a adversários de peso. Será que irão manter essa estratégia?
Destaques do jogo: Villa contra Villar? Barrios contra Piquet? Será?
PP
PS: Sabem qual o único clube representado em todos os jogos destes quartos de final do mundial?
publicado por N.T. às 03:45
editado por J.G. às 12:03
Sexta-feira, 02 DE Julho 2010
Depois de dois dias de descanso, o mundial volta e em força: estão aí os quartos de final! Quais são então os dois embates do dia? Quais serão os vencedores do dia?

Contas antigas (Holanda - Brasil; 15:00; Estádio Port Elizabeth)
Holanda Holanda Brasil Brasil
Quem tem o futebol mais bonito? Na história do futebol mundial dos tempos modernos, leia-se a partir dos anos 70, surgiu em todo o mundo duas grandes escolas que apoiam o futebol bonito. Nenhuma conseguiu ser campeã do mundo, a Holanda em 78 e o Brasil em 82. Isso teve o seu impacto. Enquanto a Holanda continuou a lutar pelo futebol "totalista", o Brasil abandonou quase por completo o futebol "mágico".
É certo que a Holanda para ser considerada ao nível da "laranja mecânica" de Cruyf ainda lhe falta algum... sumo. No entanto, apesar de neste mundial apresentar-se num esquema mais pragmático, onde os laterais estão bem mais contidos, nas suas funções atacantes (vide o jogo frente à Eslováquia), o que é certo é que ainda não perderam e apenas concederam golos através da marca da grande penalidade. Nada mal, mesmo!
Continuo a pensar que embora não seja uma "laranja", mas sim uma "clementina", ainda há sumo bem docinho para ser exprimido. Talvez agora com o regresso do seu jogador-estrela, Robben, eles consigam descolar melhores exibições. Mas, os problemas por melhor mascarados que tentam ser, têm a tendência para vir ao de cima. Começou já com a insatisfação de van Persie, que embora seja titular da equipa, sente que poderia render muito mais noutra posição. Será que van der Vaart irá ser o próximo a demonstrar desconforto? Ou será que Hunterlaar irá ter aqui a sua grande oportunidade, e logo frente aos rivais dos "últimos" mundiais (1994 e 1998) brasileiros? Uma coisa é certa, o 4-3-3 (4-2-3-1) é para manter! Mas, e se estiverem a perder qual será o plano B?
O Brasil é talvez a selecção que mais mudou a nível de estilo e filosofia de jogo, nas últimas décadas. Se em 1982, o futebol "mágico" canarinho, não resultou numa conquista, tendo inclusivé marcado a alteração dessa filosofia, já em 1994, conseguiram atingir o tal aclamado objectivo, mas num estilo mais pragmático. O Brasil moderno, continua a ter grandes executantes, mas opta por uma postura demasiado defensiva para o colectivo que possui. É esta a grande crítica que todos fazem ao escrete.
Será que o 4-1-2-1-2, ou até mesmo o 4-2-3-1 canarinho poderia funcionar de forma mais elegante? Esta é a grande pergunta que se coloca aos penta-campeões mundiais. Em termos de rostos, do onze titular, Ramires será a grande baixa, pois tem sido um suplente de luxo no escrete. Impedido por acumulação de amarelos, coloca a dúvida sobre se será Elano (um grande artista), ou será o Josué (a pequena formiguinha), ou será o Felipe Melo (o agressivo) a fazer aquela posição do meio-campo. Quase certo nesta zona do terreno está Dani Alves que tem vindo em crescendo a nível exibicional. Já agora, o que fará Dunga se o Brasil encontrar-se em posição de desvantagem? É que do que se viu, tanto Nilmar como Grafite, parecem corpos estranhos nesta filosofia de jogo, não acham?
Prognósticos da "Jabu": este é claramente um jogo de tripla! Ganhará quem for mais forte a nível mental e nos duelos individuais. Destaques do jogo: Robben contra Michel Bastos e Kaká contra van Bommel/De Jong.
África reunida em torno de uma só equipa (Uruguai - Gana; 19:30; Estádio Soccer City)

Uruguai Uruguai Gana Gana
Grande encontro que se perspectiva. Frente a frente, duas selecções que visam fazer história. É certo que o Uruguai, mesmo sendo um país minúsculo é concerteza uma das potências futebolísticas mais antigas da história. No entanto, tem vivido um pouco do passado, regressando este mundial a um lugar entre os melhores. Por seu turno, os jovens ganeses, depois de conquistarem triunfos em escalões jovens, querem demonstrar que África evoluiu e muito a nível sénior.
O Uruguai é capaz de ser a equipa mais pragmática. Apoiada num sistema defensivo de tolerância quase zero, entrega o seu ataque a 3 elementos móveis, mais um médio que avança no terreno e normalmente mais um lateral. Estes dois últimos são os Pereira's (Álvaro e Maxi). Os dois médio centro, têm cariz mais defensivo. Enfim, é uma espécie de 4-1-2-1-2, ou 4-3-3, ou até 3-4-3, dependendo do posicionamento dos seus atletas.
O que é certo é que quando defendem, a pressão que os avançados fazem, leva o adversário ir de encontro com o desarme ora desta dupla de médios, ora uma tentativa de penetração que faz cehgar a bola aos centrais uruguaios. Estes são exímios no jogo de contacto com os avançados adversários, sobretudo se eles são mais posicionais e menos móveis. Forlan, Suarez e Cavani, têm vindo a crescer dentro do mundial. Se no primeiro e segundo encontro via alguma química com os dois primeiros, ao terceiro notei uma clara evolução do entrosamento e utilização do "7" celeste.
O Gana é a equipa mais surpreendente, pela positiva, neste mundial. Toda a gente reconhece que os médio ganeses, mais do que virtuosos, são eficazes nas tarefas defensivas. O que não conheciamos é que uma equipa africana poderia chegar ao mundial com uma cultura táctica muito acimentada por todos os intervenientes. Só por isto marca a grande evolução desta equipa africana, valorizando não só os seus atletas, mas também o trabalho do seu seleccionador.
O 4-2-3-1, já demonstrou que pode jogar numa toada de espectativa, como de pleno controlo do encontro. Neste campo, parece-me ser uma equipa mais activa na busca do golo que o Uruguai. No entanto, não vai poder contar com uma das suas revelações neste mundial: o Ayew.
Será concerteza uma dor de cabeça para o seleccionador. Será que haverá uma mudança táctica, povoando o meio-campo com a entrada de Muntari ou Appiah para o onze titular? Ou será que dará oportunidade a outro avançado?
De qualquer maneira, atenção celeste, pois Gyan será a seta virada à vossa baliza.
Prognósticos da "Jabu": estou mais inclinado para uma vitória do Uruguai, mais pelo historial que possui e pelo tacticismo/manha sul americana que decerto fará com que controlem o ritmo de jogo ao seu belo prazer. Mas, o Gana não me surpreenderá se conseguir passar à próxima fase. Destaques do jogo: Suarez contra Pantsil e Gyan contra Lugano.

PP

PS: Sabem quem são os jogadores com descendência de antigos futebolistas das suas selecções que irão jogar nos encontros de hoje?
publicado por jabulani às 09:37
Terça-feira, 29 DE Junho 2010
E não é que o último dia dos jogos dos oitavos de final reserva-nos mais um emocionante encontro entre dois candidatos ao título mundial? Portugal e Espanha, ao final da tarde protagonizam mais um duelo ibérico. Mas, antes defrontam-se Paraguai e Japão. Quem continuará em frente? Eis a grande questão. Aceitam-se apostas!
Espírito de índio guarani contra os últimos samurais (Paraguai - Japão; 15:00; Estádio Loftus Versfeld)

Paraguai Paraguai Japão Japão
Duas equipas conhecidas pelas suas performances defensivas neste mundial. Duas equipas em busca do acesso aos quartos de final. Duas equipas com diferentes formas de atacar. Qual delas passará?
A equipa paraguaia, segundo os esquemas da FIFA, alinha num 4-3-3. Aliás, é mesmo essa a ideia que se fica quando olhamos para o campo e vemos as disposições dos seus atletas. Contudo, embora tenham levado a água ao seu moínho, esse mesmo onze, pelos nomes que aparecem nas fichas de jogo, melhor se organizavam em 4-4-2, ora em losango ora linear. É quase inadmissível para um adepto de futebol ofensivo, que o seleccionador paraguaio, com jogadores do nível de Valdez, Barrios, Santa Cruz, Cardozo e até Benitez, o máximo que consegue fazer em termos ofensivos é marcar ou com o central em bola parada ou com jogadores do meio-campo. Isso reflecte-se que a forma de atacar se calhar não é a mais correcta. Quais seriam as vossas opções para o ataque?
O Paraguai, não é uma equipa predominantemente atacante. Não é, igualmente uma equipa muito rápida. Na defesa, embora os seus centrais não sejam muito corpulentos e altos, sabem marcar em cima, estilo "carraça", pelo que a equipa consegue ter talvez a melhor defesa sul-americana. Os laterais são jogadores rápidos mas que não se aventuram assim tanto para o ataque. Algo que quanto a mim ajuda a que o 4-3-3 não tenha outra dinâmica. Quanto aos médios Vera e Torres, funcionam muitas vezes como alas e é por esses movimentos que nota-se alguma aceleração do jogo ofensivo. Mas, até agora o fazem porque sentem-se protegidos por um senhor jogador, chamado Victor Caceres. Será uma grande baixa para este encontro, devido a acumulação de amarelos em encontros anteriores. Quem deverá substituí-lo?
A equipa japonesa, joga num 4-5-1 e embora eu preferia ver o Honda a jogar de frente para a baliza adversária, eu acho que neste momento é mesmo o único jogador japonês capaz de interpretar bem a função que um avançado nestes esquemas deve ter. Em ataque o 5 de meio-campo desdobra-se avançando os dois alas, ora pelas linhas, ora em diagonais para a zona de remate frontal. São os casos de Matsui e Tamada. Mas, não é só os alas que avançam. Nos últimos encontros, Endo e Hasebe já conseguem muitas vezes chegar a zonas de remate, sobretudo o primeiro.
Tal como o Paraguai, não considero o Japão uma equipa rápida. Considero-os ágeis, precisos, objectivos e com muito pulmão. Se têm dúvidas, basta repararem nos seus dois laterais. É, igualmente uma equipa defensiva por natureza, pois deixa apenas Honda à frente da linha do meio-campo. No centro da defesa japonesa encontramos uma das melhores e surpreendentes duplas de centrais deste mundial: Túlio Tanaka e Yuji Nakazawa. Com estes dois, mais o domínio no capítulo do livre de Endo, Honda e Nakamura, o Japão é talvez a equipa que melhor performance tem dos lances de "bola parada" neste mundial. Nakamura é a grande questão para o onze titular, uma vez que tem sido uma espécie de "Robben" para o Japão nesta competição.
Prognósticos da "Jabu": antevejo um jogo enfadonho, muito embora, os japoneses têm proporcionado alguns belos jogos. Assim sendo, penso que quem marcar primeiro deverá passar em frente. Neste momento, penso que o Japão é mais equipa, mas o Paraguai dá-nos a sensação que ainda não vimos o seu verdadeiro potencial. Boas hipóteses de haver prolongamento, pois ambas as equipas apenas atacam pela certa.
Duelo entre "hermanos" (Espanha - Portugal; 19:30; Estádio Green Point)
Espanha Espanha Portugal Portugal
E às 19:30 a península ibérica pára! Quem irá prosseguir em frente? A Espanha ou Portugal?
A armada espanhola, comandada por um jogador conhecido por "olhos de camaleão", de seu nome Xavi, apresenta-se neste mundial ainda em busca das suas rotinas de jogo. Xavi já percebeu que os companheiros que tem na selecção e não jogam no Barça são diferentes dos estrangeiros no seu clube, pelo que é necessário afinal os entrosamentos, mas já aí voltarei.
Começo pela baliza, Iker Casillas, o homem-aranha das balizas (a par de Júlio César do Brasil), é um grande guarda-redes, mas não está a passar por um grande momento na selecção. Parece haver ainda faltas de comunicação com a defesa blaugrana. Disso foi notório o seu primeiro golo sofrido no mundial.
No centro da defesa, Puyol e Piquet complementam-se e têm já rotinas do seu clube. É uma dupla muito coesa, mas como estão habituados a jogar muito subidos, quase ao pé da linha de meio-campo. Fazendo uso do "fora-de-jogo", têm muitas dificuldades quando a equipa adversária consegue penetrar no espaço deixado entre eles e o guarda-redes. Então se Piquet perder a bola num dos seus movimentos típicos de subida pelo terreno, abre um espaço nas costas que Busquets nem sempre se encontra para tapar. Se no Barcelona, têm laterais muito rápidos como Maxwell e Dani Alves, na selecção, embora Ramos não é batido em velocidade, o Capdevilla já o é. Contudo, têm quase sempre o apoio ora de Sérgio Busquets (médio mais defensivo), ora de Xavi, que muitas vezes vem buscar jogo, tal como faz no Barcelona, ora, também de Xabi Alonso, que tem tendência a fazer o mesmo que Xavi, pois é essa a sua função no Real Madrid. Como são ambos destros, têm tendência para moverem-se para o mesmo lado, à procura do equilíbrio necessário para passar com precisão com o seu melhor pé. Desiquilibrando o lado esquerdo espanhol. Uma coisa é certa, em termos de tipo de passe predilectos, tanto Xavi como Xabi Alonso são diferentes e complementares. São igualmente diferentes nas tarefas de "bolas-paradas" ofensivas e defensivas. Mas, é entre estes dois que vejo ainda alguma imprecisão, falta de coordenação e entrosamento nas saídas para o ataque.
David Silva, é uma espécie de "Messi" espanhol. Pelo menos é essa a ideia que transparece da forma como Del Bosque quer que este virtuoso jogador funcione em campo. Eu penso que está correcto, pois é assim que Silva joga no seu Valência., ou seja, ora à esquerda, ora à direita, ora ao centro, como "10" com muita liberdade. Contudo, mais uma vez, os mecanismos ainda não são os melhores, com os restantes membros da equipa (leia-se meio-campo). Villa, é dos únicos onde parece ter claramente um enorme entrosamento, porque jogam juntos no Valência. Torres ainda está à procura do apuramento de forma e tem sido Navas o escolhido para formar um trio atacante, com Villa e Silva. Notar que o novo reforço do barça é um avançado que não sabe jogar de costas para a baliza, e é mais de jogar no espaço vazio, com uma diagonal ou transporte de bola. Tem tendência para preferir o lado esquerdo do ataque pois possibilita fazer o movimento interior para disparar, tal como fez quando jogou contra as Honduras. Com o jogador do Liverpool em campo, a tendência é para Espanha adoptar um 4-4-2 em losango. É então entre o 4-3-3 e o 4-1-2-1-2, que eles se sentem mais confortáveis em jogar, mas no banco o que não falta são soluções para todas as situações. É talvez a par da Argentina o 23 mais homogéneo.
A armada lusa, também tem as suas armas e estou curioso por ver qual será a estratégia a ser usada neste encontro. Neste contexto tenho duas questões:
i) Qual será o estilo de jogo que Portugal irá adoptar, ou seja, se um estilo de jogo mais defensivo, como aconteceu frente ao Brasil ou se mais ofensivo, como ocorreu frente à Coreia do Norte?
ii) Qual será a táctica que Portugal irá adoptar neste encontro, se o tradicional 4-3-3 que tem usado neste mundial, se o 4-1-2-1-2, que deu-nos o apuramento nos jogos do play-off europeu?
Sinceramente, eu no lugar do Queiroz optaria por um esquema que os jogadores se sintam bem. Povoar o meio-campo, com gente defensiva, não é lá muito correcto frente a uma Espanha ou Argentina. É que essas equipas aproveitam-se para se intalarem no nosso meio-campo e têm gente com maturidade e paciência suficientes para por-nos a correr atrás da bola até que haja um espaço onde possam metê-la e penetrar em ataque. Se marcarem primeiro, em termos anímicos para a equipa será devastador. Por outro lado, não é assim que a maioria dos jogadores Portugueses está habituado a jogar. Mais, o jogo frente ao Chile, revelou que a Espanha tem imensas dificuldades frente a um adversário que procure ter tanta posse de bola como ela. Sendo assim, e para aproveitar o melhor dos dois mundos do estilo e da táctica, penso que Portugal deveria usar o seguinte onze:
- Eduardo na baliza, este é intocável e tem sido o melhor na sua posição neste mundial.
- Miguel a lateral direito, porque de todos os laterais direitos nacionais é aquele que convive diariamente com Villa, o jogador que lhe vai cair na sua zona de acção.
- Ricardo Carvalho, o líder da defesa e aquele que poderá sair com a bola nos pés.
- Bruno Alves, o central de marcação por excelência que deverá preocupar-se com Torres, se este jogar de início. Também nos lances de bola parada, defensivos e ofensivos será preponderante.
- Fábio Coentrão, que continue a fazer o que tem feito até aqui.
- Pedro Mendes, porque dá outra segurança à equipa tanto em termos defensivos, como nas saídas para o ataque que Pepe não dá. Também pensei em Miguel Veloso, mas agora não é tempo para experiências e Mendes parece-me mais seguro e confiante.
- Tiago, continua a jogar e deslumbrar. Complementa Mendes e Meireles, formando um tridente de grande qualidade. Será concerteza o jogar mais cerebral do meio-campo.
- Raul Meireles, com as suas penetrações pelo centro do terreno acaba por esticar e bem o jogo ofensivo nacional. Tanto ele e Tiago têm essa tendência e pelos vistos, fazem-no com critério e de forma intercalada. Está em grande forma. Tem tendência para marcar nos grandes momentos, será este um deles? Esperemos que sim!
- Simão, ora na esquerda, ora na direita, ora no centro (caso haja necessidade de jogar em 4-1-2-1-2), Simãozinho é o jogador mais inteligente e experiente que temos na equipa nacional. Conto com ele para pressionar e roubar muitas bolas ao Busquets, no momento em que este receba a bola.
- Cristiano Ronaldo, é aquele jogador para levar Portugal a outro patamar, tal como aconteceu com Eusébio em 66. Se em termos defensivos pressionar a defesa contrária, nomeadamente, Capdevilla, Puyol, BusquetsXavi quando no seu meio-campo defensivo irá permitir a que Portugal conquiste muitas bolas na zona de construção adversária. Em termos ofensivos, colocaria-o mais sobre a direita para o centro, aproveitando o confronto com Capdevilla.
- Hugo Almeida, é muito importante para Portugal colocar este rapaz em campo. É o único que pela sua movimentação (procura flectir para o lado esquerdo), capaz de manter Piquet lá atrás e fazer com que Ramos, não suba a seu belo prazer. Com um Raul Meireles por detrás e com o apoio de Coentrão, poderá depois partir para a zona de finalização.
Prognóstico da "Jabu": mais uma vez RESERVADO! Tudo dependerá da forma como os jogadores abordarem este encontro, sobretudo os portugueses que parecem correr por fora. Depois, esta questão que visa uma performance nacional personalizada, que depende e muito de quem jogar, logo de quem Carlos Queiroz optar, leva-me a ter muitas reservas. Vamos ver, que seja um bom espectáculo e sem casos (deverá ser difícil, pois é um confronto ibérico).

PP

PS: O que acham do onze que apresentei? Sempre dava para sem nenhuma substituição jogar num 4-1-2-1-2 ou 4-3-3.
publicado por jabulani às 10:15
Segunda-feira, 28 DE Junho 2010
O terceiro dia dos oitavos de final reservam-nos dois encontros: um entre europeus, o outro entre sul-americanos. Quem irá seguir em frente? Haverá alguma surpresa?

Será que a equipa surpresa da competição irá revelar a "Laranja mecânica"? (Holanda - Eslováquia; 15:00; Estádio de Durban)

Holanda Holanda Eslováquia Eslováquia
Na bonita cidade de Durban, um encontro entre duas selecções europeias: Holanda - Eslováquia. Qual deles será o vencedor?
A "clementina" (bem visto catenaccio), agora que regressou o seu "mágico" jogador, Arjen Robben, parece descolar para outro nível exibicional. Se por um lado é bom, para o espectáculo, por outro pode ser sintomático da tentativa de esconder alguns erros de "casting" por parte do treinador holandês nos primeiros jogos. Por exemplo, continuo a pensar que van der Vaart encostado à linha do lado canhoto, é um erro, mas pior até é ver o van Persie (outro homem-de-cristal) como ponta-de-lança. Estou a contar os minutos para que ele ainda se lesione, tal o risco de jogar tão junto aos defesas. Para além disso, vê-lo "enjaulado" alí até mete pena... mas, enfim, cada um com as suas ideias e o que é certo é que o seleccionador holandês leva 3 vitórias em 3 jogos e apenas um golo sofrido. Nada mal mesmo! No entanto, à Holanda, que nos habituou mal há já pelo menos uns 30 anos, exige-se pelo menos uma nota artística... um pouco como a Portugal, nestas últimas décadas.
Em termos tácticos, o 4-2-3-1 é o que se tem usado. Parece não haver outro esquema alternativo, pelo que a novidade é o que cada atleta pode introduzir no onze. De facto, olhando para van der Vaart e Elia (seu substituto posicional, nos primeiros encontros), percebe-se a diferença. O mesmo acontecendo com Robben e Kuyt à direita do ataque. Enfim, embora a táctica posicional seja a mesma, a dinâmica torna-se totalmente diferente. Isto faz com que os seus adversários tenham que ter muita atenção a esta Holanda. Destaque holandês: Robben! (Cuidado Cech!)
Quanto à Eslováquia, que surpreendeu na fase de grupos ao eliminar os actuais campeões mundiais, os italianos, tem aqui um enorme teste às suas ambições e sonhos de chegar ainda mais longe nesta competição. Sem nada a perder, todos os seus defeitos futebolísticos podem ser facilmente camuflados com uma atitude positiva para com este encontro. Por outro lado, o contrário pode suceder. Normalmente, acontece pelo lado mais fraco, que nem sempre tem haver com o pior jogador a nível técnico, mas sim mental. Por exemplo, ainda ontém o mexicano Osório foi exemplo disso mesmo. De qualquer maneira, Hamsik, o míudo Weiss e o ponta-de-lança raçudo Vittek, para além da muralha Skrtel, serão com certeza trunfos eslovenos para este encontro. Se frente à Itália, a Eslovénia não abdicou do seu 4-4-2 tradicional, penso que não será hoje que irá fazê-lo. Só por isso, só por esta atitude de entrar em campo e jogar o seu jogo, seja com que adversário for, revela ambição, querer e muita confiança no seu conjunto, tanto do seleccionador, como dos jogadores. Merecem tudo o que de bom o futebol poder-lhes dar. Destaque eslovêno: Weiss! (Cuidado van Bronckhorst!)
Prognóstico da "Jabu": penso que poderemos ter prolongamento neste encontro e até mesmo mais uma surpresa eslovena. Dependerá da condição física de cada equipa neste momento. Mas, a Holanda tem vantagem, nem que seja a teórica e a histórica.
Duelo sul-americano (Brasil - Chile; 19:30; Estádio Ellis Park)
Brasil Brasil Chile Chile
O Brasil leva larga vantagem em encontros contra o Chile. O Robinho é talvez um dos maiores "carrascos" do Chile na actualidade. Mas, se o futebol fosse assim tão linear, jamais teria a magia que tem. O Brasil poderá ser melhor que o Chile 9 vezes em cada 10 jogos, mas para o Chile apenas terão que ser melhores esta noite.
Na selecção do Brasil, Dunga, deverá fazer regressar Elano, Kaká, Robinho ao onze inicial. Falta saber se Felipe Melo continuará a ter a confiança do seleccionador para jogar como médio-interior esquerdo, quanto a mim a posição mais carenciada da canarinha neste mundial, devido à falta de um esquerdino de qualidade. Mas, essa posição não tem que ser jogada por um esquerdino (embora quanto a mim ajuda na qualidade dos passes). No actual 23 do escrete, com a exibição "nin" de Josué, a exibição "paulada" de Melo e a exibição "mais músculo e menos cabeça" de Júlio Batista frente aos navegadores, penso que está mais do que na hora de experimentar Ramires. Dunga, podia pensar que perderia algum músculo, mas ganha em ter um verdadeiro "homem de borracha" em campo, com capacidade para ajudar Gilberto Silva nas tarefas defensivas e talvez a melhor arma frente aos médios móveis e ágeis como são os chilenos.
Destaque brasileiro: Robinho! (Mas, se jogar, será Ramires!)
Na selecção do Chile, Marcelo Bielsa, que tem sido para mim o melhor seleccionador deste mundial, pela forma como gere a sua equipa, quer antes, durante e após os encontros, tem dois grandes desafios pela frente. Um é fazer com que os seus jogadores esqueçam o histórico que têm contra o adversário brasileiro. O segundo é como reconstruir a sua defesa depois dos seus dois centrais e médio de contenção virem-se obrigado a não poder dar o seu contributo neste encontro? Sinceramente, estou ansioso por ver como irá resolver os dois problema e como isso irá afectar a dinâmica do resto da equipa. Outra questão, é saber se optará por um 3-4-3 ou 4-3-3?
Num jogo onde Pablo Contreras e Rodrigo Tello, dois nossos conhecidos, deverão entrar no onze a titular, penso que jogadores como Valdívia, Matias Fernandez e sobretudo o goleador que tem andado muito escondido neste mundial, um tal de Humberto Suazo, deverão ser figuras do jogo e com o qual o Brasil irá ter que se preocupar. Atenção à seta Alexis Sanchez, que frente à Espanha, foi dos melhores em campo.
Destaque chileno: Suazo! (Vai uma aposta?)
Prognóstico da "Jabu": se o Brasil entrar em jogo a pensar que vão ser favas contadas, pode já começar a fazer as malas. Se o Chile conseguir suster os primeiros e os últimos minutos da primeira parte, irá concerteza enervar o adversário. Para além disso, irá sentir-se confiante com a sua "nova" defesa, o que lhe permitirá outra desenvoltura. Penso que o Chile continua a ter mais banco que o Brasil, pois nem Nilmar, nem Grafite convenceram-me neste mundial. Outro jogo que poderá ter prolongamento.

PP

PS: Sabem quantas vezes o Brasil defrontou o Chile em mundiais? Dessas vezes, quantas foram as que resultaram em vitória chilena?
publicado por N.T. às 13:02
editado por jabulani às 13:25
Domingo, 27 DE Junho 2010
Este domingo a europa vai parar, literalmente. Pelo menos haverá um forte motivo para não se ir à praia à tarde, isto para além das radiações nocisas em tais horários: Alemanha - Inglaterra. Mais, à noite, um escaldante México - Argentina.
Dois jogos, dois grandes clássicos, dois grandes espectáculos. Antevê-se exibições dignas de finais. A não perder!

Talvez o clássico dos clássicos (Alemanha - Inglaterra; 15:00; Estádio Free State)

Alemanha Alemanha Inglaterra Inglaterra
É concerteza uma das maiores rivalidades futebolísticas a nível mundial. É concerteza o tipo de jogo que nenhum jogador de cada uma das equipas quererá perder. É concerteza o clássico dos clássicos europeus.
Uma Alemanha jovem frente a uma experiente Inglaterra, quem irá vencer?
A Alemanha é sempre uma equipa a ter em conta, pela sua eficácia e objectividade no jogo. Quer seja formada por "teenagers", quer seja formada por "trintões". Penso que Joachim Low conseguiu fazer um bom conjunto. Colocou experiência em posições chave, tal como no ataque com Miroslav Klose. Este a 5 golos do record de golos marcados por um único jogador em mundiais, Ronaldo (o fenómeno), não deixará de persseguir esse objectivo já contra a Inglaterra. Ainda por cima com a fome de bola que ele tem, por ter que cumprir um jogo de suspensão, após vermelho por acumulação no encontro contra a Sérvia. Mas, também soube colocar juventude em lugares onde isso é importante. Oezil é o mago alemão! "Mago" e "alemão"... como os tempos mudam... mas, a verdade é que aquele pé esquerdo vale muitas assistências e golos. Isto para não referir a disponibilidade física que tem para recuar e avançar durante os noventa minutos. Lá atrás, como que a reforçar a antítese do estereotipo germânico, temos um pequenino Phillip Lham, capitão de equipa e com "apenas" 26 anos. Estes três para além de descreverem a rica mescla alemã, deverão ser as figuras principais da equipa germânica.
A Inglaterra é outra equipa a ter em conta, muito pela sua competitividade, coração e raça. Penso que Fábio Capello tem à sua disposição uma selecção muito completa para chegar o mais longe possível. Na defesa, quer se goste ou não do seu comportamento fora de campo, John Terry representa muito bem aquilo que entendo por raça. No meio-campo, Steven Gerard, o capitão, não precisa de nenhum cartão de apresentação. É, sim o sr. competitividade por excelência. Penso inclusivé que no futebol moderno seja talvez o jogador que mais vezes foi o herói de um encontro pelas suas equipas, está-lhe no sangue. E lá na frente, o até agora muito "low-profile" Rooney. O "white Pelé" é quase todo ele coração. A forma como se referiu no final do encontro frente à Argélia para os fans, é de quem sente e vive como poucos o futebol.
Prognóstico da "Jabu": penso que pela experiência da Inglaterra, pela estrelinha de campeão que Fábio Capello possui nos grandes momentos e, sobretudo, porque o Rooney tem estado muito sossegado neste mundial, eu penso que a Inglaterra passa à fase seguinte. Mas, será um jogo disputadíssimo com incerteza de resultado até ao último minuto. Rooney versus Mertesac e Klose versus Terry, para seguir com a câmara pessoal. MVP do jogo: Rooney. Vai uma aposta?
Talvez o clássico moderno americano (Argentina - México; 19:30; Estádio Soccer City)
Argentina Argentina México México
Há um claro historial entre estas duas equipas, com clara vantagem para os albicelestes. No mundial de 2006, os mexicanos só não conseguiram ir mais longe, muito devido aos argentinos. Será que a história irá repetir-se?
A Argentina de Maradona aparenta ter mesmo a "mão de Deus" na sua construção. Dos 23 jogadores seleccionáveis, Maradona já utilizou 21, faltando apenas o uso dos outros 2 guarda-redes suplentes. Todos eles já reluziram em campo. Isto por si só reflecte bem a qualidade da sua equipa, mas também a importância que Maradona dá na criação de um grupo coeso. Poderia falar das suas individualidades, mas prefiro dar importância ao seu esquema de jogo. Maradona alterna entre um 4-1-2-1-2 e um 4-3-3. O seu melhor jogador, aquele que não prescinde, é o seu "10", o Messi"as" argentino.
O México de Aguirre é uma lufada de ar fresco no futebol mundial. Com um futebol sedutor, só terá que se preocupar com os equívocos que o próprio Aguirre tem em termos de algumas substituições. Mas, desenganem-se aqueles que pensam que os mexicanos não são uma equipa coesa, muito pelo contrário! O seu 4-3-3 funciona impecavelmente e os seus alas são tão ou mais técnicos e perigosos que os avançados argentinos. Contam inclusivé com um "puto-maravilha" que funciona autenticamente como uma substituição-joker. Contudo, o melhor jogador mexicano, aquele que Aguirre não prescinde nunca, é o seu "4", o "anjo" Rafael "kaiser" Marquez.
Prognóstico da "Jabu": será de certo delicioso vermos o confronto táctico entre duas das tácticas mais em foco nestes últimos anos: o 4-3-3 e o 4-1-2-1-2. Por outro lado, o duelo técnico entre um avançado/médio ofensivo de drible curto e um defesa/médio defensivo de enorme classe, é daqueles para fazer bom uso da câmara pessoal durante o jogo. Muita gente está confiante que a Argentina passará sem espinhas. Ela poder passar até pode, mas de certo que no final deste encontro, a divindade da alviceleste será colocada de parte e decerto que veremos muita humanidade no seu desfecho, para o bem e para o mal. MVP do jogo: Messi ou Marquez? Também não ficaria admirado se fosse o Hernandez.

PP

 

PS: Nos duelos entre alemães e ingleses quem é que já perdeu mais? E quem é que já perdeu mais finais entre estes dois? Já agora, alguém sabe-me dizer quantas vezes o México perdeu com a Argentina em fases finais de mundiais? Ganhou alguma vez à albiceleste?
publicado por jabulani às 01:54
Sábado, 26 DE Junho 2010
E ao 16º dia do mundial, finalmente temos o "mata-mata"! Quais os vossos prognósticos para os jogos de hoje?
Defesa robusta contra ataque leve (Uruguai - Coreia do Sul; 15:00; Estádio Port Elizabeth)
Uruguai Uruguai Coreia do Sul Coreia do Sul
Frente a frente dois estilos bem diferentes de jogar futebol, embora de princípios diferentes.
De um lado os uruguaios, que fazem da sua defesa compacta uma das suas maiores armas, para que Forlan, Suarez e Cavani assim como mais um ou outro médio/lateral possam atacar de forma cirúrgica. O seu elemento mais móvel é o seu "10". Por ele passa todo o jogo ofensvio da selecção "celeste". O 4-3-3 (mais um 4-1-2-1-2, em que o "10", Forlan, por ser um dos melhores avançados da actualidade, acaba por fazer quase sempre o trio de avançados) de Tabarez é muito polivalente, graças aos jogadores que tem à sua disposição, pois permite que um só jogador possa fazer pelo menos duas posições. Maxi e Alvaro Pereira, Fucile, entre outros estão entre esses jogadores multifunções. Aliás, esta tem sido uma característica que as selecções sul-americanas têm demonstrado neste mundial, pelo menos as que falam castelhano.
Do lado sul coreano, nota-se uma evolução futebolística fantástica nos últimos 10 anos. O mais engraçado é que se antes poderíamos se calhar distribuir o mérito pelos seleccionadores estrangeiros que passavam por esta selecção, hoje temos de dar ainda mais mérito ao trabalho de Huh Jung Moo. O seu 4-2-3-1, sendo que o 3 de meio-campo ofensivo trabalha quase em carrossel e consegue ao mesmo tempo ajudar nas tarefas defensivas, é do ponto de vista táctico um triunfo que muitos poucos neste mundial conseguiram. Têm jogadores importantes na defesa como o experiente lateral Lee Young-Pyo (a revelação sul coreana no mundial 2002) e o central goleador Lee Jung Soo (já tem dois golos nesta edição do mundial). No meio-campo conseguem misturar formigas operárias com formigas atómicas, tais como o actual melhor jogador sul coreano Park Ji Sung e Lee Chung Yong. No ataque, o rato de área chamado Park Chu Young é um perigo iminente para as defesas adversárias.
Prognóstico da "Jabu": em termos de individualidades o Uruguai é mais sonante. Mas, os celestes ainda não me convenceram totalmente como equipa, muito embora tenham vencido o último encontro, frente a um México que estava a ser umas das agradáveis surpresas deste mundial pelo seu futebol positivo. Em termos defensivos são muito bons, mas o ataque continua pouco fluido. Por outro lado, a Coreia do Sul, tem menos nome, mas um contra-ataque mais venenoso. São duas equipas de perfil defensivo, pelo que não estamos à espera de muitos golos neste encontro. Será que a manha sul-americana poderá fazer a diferença? Talvez, embora espere que não!
Dois grandes vencedores! (EUA - Gana; 19:30; Estádio Royal Bafokeng)

EUA EUA Gana Gana
É impressionante a evolução destas duas selecções. Quanto a mim são já vencedoras por terem chegado tão longe e com tão pouco "pedigree" futebolístico.
Ok! É certo que o Gana tem mal ou bem formado grandes futebolistas nas últimas décadas, mas são casos isolados. Caso de jogadores que vão muito cedo para a europa e lá adoptam novas competências. Agora, funcionarem como verdadeira equipa, penso que só em 2006 e agora em 2010. Eles devem isso a um sérvio que soube muito bem integrar o 4-2-3-1 aos seus atletas. Mas, não foi só no aspecto táctico. No aspecto mental também houve evolução a começar pelo espírito que incutiu aos restantes atletas que souberam que não poderiam contar com o seu capitão e melhor jogador Essien para este mundial, devido a lesão. Em termos defensivos jogam de forma europeirizada, ou seja, compacta, com linhas juntas e muita entreajuda. No meio-campo, juntam o músculo, o pulmão e a arte de forma eficaz (Prince, Appiah, Muntari,...), mas no ataque e nas alas (Ayew, Asamoah, Gyan,...), tendem sempre a entregar em demasia o jogo aos seus atletas. A ideia não está má, mas o ataque deveria ser mais regrado. Por exemplo, Gyan, que costuma vir a meio-campo buscar jogo, tenta demasiadas vezes o 1 contra a equipa adversária, esquecendo-se por exemplo dos seus alas que invariavelmente ficam desmarcados e em melhor posição para conduzir o ataque. Se conseguirem resolver este problema têm melhores condições para ir mais longe.
E os americanos? Será que podem seguir mais longe? YES THEY CAN! A meu ver é das equipas mais emocionantes neste campeonato do mundo. São conscientes dos seus pontos fracos, mas também dos seus pontos fortes. Sabem muito bem o que querem dos jogos e como conseguí-lo. Têm jogadores que individualmente estão entre os melhores deste mundial, tais como Howard, Bradley, Donovan, Bocanegra Dempsey. Têm outros que estão a despontar para a grande ribalta, tais como Edu e Atidore. Junta-se a isto um treinador que sabe preparar a sua equipa e intervir nela nos momentos certos. O que falta mais? Ah! Já sei! Atitude e nunca baixar os braços! É isto a selecção norte-americana. Emocionante não acham?
Prognósticos da "Jabu": estou dividido neste encontro, tal como deverá estar o presidente Barack Obama. De um lado o meu carinho e desejo de ver uma selecção africana chegar o mais longe possível nesta competição. Do outro, a emocionante caminhada dos americanos que nunca viram a cara à luta mesmo num desporto onde são reconhecidos por todos como uns "underdogs". Que ganhe o melhor! Duma coisa sei: será o jogo mais emocionante deste dia!

PP

PS: Sabem qual é a língua secundária que os uruguaios aprendem na escola?
publicado por jabulani às 13:37
Sexta-feira, 25 DE Junho 2010
Último dia de grandes decisões para os grupos G e H. Brasil está seguro na próxima ronda. Portugal, Costa do Marfim, Espanha, Chile e Suiça ainda não. O que irá acontecer? Não percam o próximo desafio, porque nós também não!
Até ao último suspiro do guerreiro? (Coreia do Norte - Costa do Marfim; 15:00; Estádio Mbombela)

Coreia do Norte Coreia do Norte Costa do Marfim Costa do Marfim
A meu ver o jogo poderá ser personalizado nas características de dois jogadores, guerreiros deste deporto bonito: Jong Tae-Se e Didier Drogba. Todos os outros colegas de equipa, serão meras personagens secundárias, face ao peso que cada um destes atletas transmite à equipa. As características de ambos reflectem quase com precisão cirúrgica o que esperar deste encontro.
De um lado, os "elefantes" irão entrar com tudo em busca do sonho à distância de pelo menos 10 golos e uma derrota portuguesa. Concentremo-nos apenas da necessidade finalizadora. Precisam de um verdadeiro "peso-pesado" dos goleadores.
"Ena! Que sorte a Costa do Marfim ter o actual melhor ponta-de-lança mundial na sua equipa!", dirão muitos, inclusivé católicos e mulçumanos daquele país africano (como o futebol une religiões!). Mas, Drogba tem a asa ferida, pelo que o seu voo poderá não ser tão alto. Para além disso, tal como toda a fera precisa de ser bem alimentado. Será que há gente para fazê-lo? Talvez haja. Ou, talvez o seu técnico nórdico, poderá trazer a frescura de ideias que precisam após a exibição frente o Brasil. Ou, talvez encontre um adversário em busca do seu derradeiro momento de glória?
Quem conhece a Coreia do Norte, conhece Tae-Se. Este jamais virará a cara à luta. Será uma seta apontada às balizas marfinenses. Como? Em venenosos contra-ataques. Desde já coloco a seguinte pergunta: será que Tae-Se irá conseguir concretizar um dos seus sonhos, i.e., marcar um golo no mundial? Sou corajoso em responder que SIM! Podem cobrar-me depois, mas penso que é daqueles jogadores que merece o golo.

Prognósticos da "Jabu": vejo Drogba a marcar, mas também vejo o Tae-Se a marcar, quem der o último suspiro mais cedo poderá sair vencedor.

Engraçado como as características destes dois grandes atletas estão sintonizadas com as estratégias que cada equipa terão em campo.
Personalização (Portugal - Brasil; 15:00; Estádio de Durban)

Portugal Portugal Brasil Brasil
Em terra onde cresceu um dos nossos mais grandiosos, aqui fica a minha homenagem, que traga alguma inspiração e genialidade para "os navegadores", como o seguinte texto:
O Infante

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!

Fernando Pessoa, in Mensagem
É verdade caro Pessoa, mas também falta ainda cumprirmos a passagem à fase das eliminatórias... concentremo-nos nesta etapa então.
Para Portugal e Brasil, o empate é claramente um bom resultado. Nem sequer podemos falar sobre as hipóteses de passar em primeiro ou em segundo ser bom para uma ou outra selecção. Neste menú, quem escolherá são os dois primeiros do grupo H.
Os nossos irmãos (ou será filhos?!) brasileiros, têm um potencial futebolístico inegável. Contudo, partem para este mundial com o rótulo de penta-campeões, com tiques de actuais campeões e sempre a fazer publicidade ao sonho do hexa-campeonato. Não tenho problemas com o primeiro e terceiro apontamento. Mas, o segundo... nniiiééé (à Scolari!), é que não posso concordar, sobretudo com o futebol apresentado. Dunga está literalmente a efectuar um ensaio científico em pleno mundial. Procura responder à seguinte questão: será que a maneira de jogar de um campeão à 20 anos atrás poderá ser aplicada com sucesso na actualidade? Até agora tem tido sucesso, mas com a qualidade que tem à sua disposição, não seria esperar algo mais? Penso que sim. Como tal, entendo algumas das críticas da imprensa "brasuca".
Sem Kaká, o seu número "10" de eleição, e com Elano em dúvida, Dunga, apenas poderá contar com um Luís Fabi"mano" (um puro discípulo de Henry) e um irrequieto Robinho, que agora deu para ser assistente. Como podemos notar, não é um problema de individualidades, até porque Ramires e Júlio Batista poderão ser opções para o meio-campo, tal como Nilmar e Grafite para o ataque da canarinha. O problema é que o Brasil teima em apresentar futebol fluido e entrosado, a não ser um ou outro rasgo individual. Depois, há a questão do ritmo que joga. Frente aos norte coreanos e costa-marfinenses, parecia que estávamos a assistir um encontro do brasileirão. Muito lento para quem se diz ser uma selecção "europerizada". Salientar que está prevista outras mexidas no onze canarinho, como por exemplo Daniel Alves por Maicon.
Sobre o "clube" nacional, Carlos Queiroz prometeu que não iria fazer alterações até porque só a vitória (ou empate) permite a Portugal a passagem à próxima fase. Assim sendo, e como uma alteração táctica deverá estar fora das cogitações Queirozianas (ou talvez não!), algumas dúvidas persistem:
i) Será que Cristiano Ronaldo irá jogar a titular, ou irá ser poupado devido ao seu amarelo?
ii) Será que Liedson e Duda irão ser o titulares ou Hugo Almeida e Fábio Coentrão irão continuar a merecer a confiança do seleccionador?
iii) E, PP, será que ele irá ser opção para este jogo?
De qualquer modo, exige-se uma exibição personalizada de ambas as equipas. Uma porque precisa aliar os resultados às exibições, a outra necessita de dar continuidade às suas exibições.
Prognóstico da "Jabu": RESERVADO! E o vosso?
Será o Chile capaz de efectuar a terceira surpresa deste mundial? (Chile - Espanha; 19:30; Estádio Loftus Versfeld)

Chile Chile Espanha Espanha
Pouca gente tem dado importância a um pormenor que poderá ser um valente por"maior": e se a Espanha perder frente ao Chile?
Ninguém quer saber desse cenário, pois Espanha, actual campeã europeia, detentora do título "joga bonito" da fase de apuramento para este mundial (e com todo o mérito diga-se!), é muito improvável que se dê mal neste encontro, sobretudo, perder. Então e empatar? Bem, poder podia... mas com Villa, Torres, Llorente, Silva, Iniesta, Pedro, Navas, Xavi,... é realmente improvável!
Contudo, o Chile não é uma equipa qualquer e tem as suas armas. Aliás, o Chile é na realidade o homólogo sul-americano do bom futebol praticado pela Espanha. A sua performance durante o apuramento, fala por si. A forma de jogar é idêntica, embora o posicionamento dos seus atletas em campo seja diferente. Valdívia é o mago da companhia, mas Fernandez é o assistente perfeito. O coelho que sai da cartola é concerteza o artilheiro Suazo (falo do Humberto e não do David pessoal do jogo da "gralha"). Em termos defensivos, a polivalência de seus atletas faz com que seja uma equipa muito coesa lá atrás.
Prognóstico da "Jabu": o Chile precisando de apenas um ponto e tendo em conta que com esse empate pode igualmente eliminar desde já um adversário de peso na luta pelo ceptro mundial (caso a Suiça vença o seu encontro e a Espanha empata, quem passa são os suíços!), a Espanha com alguma urgência em chegar ao golo, a manha sul-americana, poderá retirar dividendos. Será concerteza um encontro com ouvidos no Suiça - Honduras, pois será desse jogo que a partir de certa altura haverá pressão extra.
Uma doce despedida ou uma doce passagem? (Suiça - Honduras; 19:30; Estádio Free State)

Suíça Suíça Honduras Honduras
A Suiça entra no último encontro com melhores probabilidades de passar à próxima fase que a Espanha, pelo menos a avaliar pelo grau de dificuldade que o adversário coloca. No entanto, salienta-se que a turma de David Suazo e dos irmãos Palacios ainda não marcou qualquer golo nesta competição. Ou muito me engano ou isso significa que as Honduras quererão pelo menos despedirem-se deste mundial com um resultado positivo. Se terão talento para tal, essa será a pergunta que veremos ser respondida esta noite.
Com a Suiça a ter que assumir o jogo, as Honduras terão mais uma oportunidade para acertar o seu contra-ataque. Será que vão conseguí-lo? Por seu turno, a capacidade ofensiva da Suiça será colocada em xeque frente a um adversário que tentará a todo o custo fazê-los provar do mesmo veneno com que brindaram a armada espanhola. Será finalmente a noite que tanto anseia Alexander Frei?
Prognóstico da "Jabu": Suiça deverá vencer, apesar de tudo, pois são muito fortes nas bolas paradas. No entanto, se as Honduras surpreenderem primeiro, as coisas poderão ficar bem amargas para os suiços.

PP

PS: Como habitual, qual é o "jogador-gralha" do texto?

 

publicado por jabulani às 10:59
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
fantasy league jabulani
fantasy league jabulani (clica na imagem)

Jabulani Fantasy League

Código - 361892-84570

arquivos
2010
pesquisar neste blog
 
Jabulani Blog

Divulga também a tua página
últ. comentários
o craque do jogo foi o cavani
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Agora que o Mundial de futebol terminou, importa r...
Não sendo propriamente um criativo de futebol, que...
Sr. Gonçalo Sousa, você não foi para aqui chamado....
Se vais pelo número de jogos não podes por o Coent...
Isto é incrível.Qualquer merda hoje em dia tem um ...
Calça meia grossa, Ribeiro
blogs SAPO