Sexta-feira, 25 DE Junho 2010

Tinha tudo para ser um jogo entusiasmante. De um lado e do outro existem grandes intérpretes em todos os sectores pelo que almejar um jogo agitado e com golos não seria um absurdo.

O onze escalado por Carlos Queiroz assentou num conservadorismo que se espelhou na primeira parte portuguesa. Com muito pouca ambição de ter a bola o jogo luso concentrava-se na tarefa de impedir e destruir sentenciando a fase de construção que, quando sucedia, respingava em Cristiano Ronaldo ou soçobrava em Danny. Os ditames queirosianos de contenção não mais provocaram que fazer com que os seus pupilos pudessem ser confundidos com parentes pobres da arte futebolística, uns submetidos e pequeninos no desejo de equilibrar as forças em confronto. Aos rapazes de Dunga notava-se a vontade de chegar às redes portuguesas mas um défice na decisão e liderança. Jogavam para a baliza com os típicos passes curtos e tentativas de um para um mas tudo saiu atabalhoado.

Houve alterações na segunda parte. Ou simulacros de alterações. A entrada de Simão manteve a ideia que surgiu no reatamento de que Portugal queria mudar a história do jogo, futebol mais positivo. Puro engano, se aos brasileiros a falta de clarividência tornava-se risível aos portugueses viam-se os mesmos sprints, pouco apoio nos movimentos de ataque mas um elogioso desempenho das linhas mais recuadas.

Foi pois um jogo sem sumo, sem gomos, sem caroços. Uma ou outra quezília, festa nas bancadas, as vários câmaras passíveis de explorar durante o encontro. Uma chatice.

 

Melhor em Campo: 23 FÁBIO COENTRÃO
publicado por Spinafro às 17:57
Peço desculpa pela agressividade do meu comentário, mas já começo a estar farto das pessoas exigirem que Portugal jogue de igual para igual com equipas claramente mais fortes. É que muitas dessas pessoas são capazes de dizer exactamente o contrário se as coisas não correm bem com uma atitude mais ofensiva. É-se preso por ter cão e preso por não ter. Portugal não está ao nível de uma Argentina, Brasil, Espanha ou Holanda. Temos que aceitar isso. Temos o 2º melhor jogador do Mundo. Mas o resto é claramente inferior. Contra a Coreia do Norte atacámos e atacámos, contra o Brasil não poderia ter sido da mesma forma. Não se pode jogar sempre da mesma forma, isso é um ideal romântico que resulta em quase nada. Cumprimentos e mais uma vez desculpa.
Leigo a 26 de Junho de 2010 às 17:38
Eu estou a meio caminho. Sou dos que acha que, apesar de Ronaldo, os portugueses têm uma noção sobrevalorizada da Selecção. E se já achava que este grupo é inferior aos anteriores (2006, 2000, 2004, por ordem crescente de qualidade), a situação agrava-se com as ausências de Nani , Bosingwa e Pepe (pelo menos o verdadeiro Pepe ). Ainda assim é possível ter um 11 que, com esforço, se bata com os outros . Não exijo é vitórias. Aliás, até à lesão de Drogba considerava a Costa do Marfim favorito para o jogo de estreia.
Não me incomoda minimamente que Portugal assuma uma postura mais pragmática, ainda para mais num contexto em que o empate servia. O problema aqui reside num seleccionador que ataca terceiros quando assumem essa postura e se esquece que também terá que recorrer a essa estratégia.
N.T. a 26 de Junho de 2010 às 18:06

Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
fantasy league jabulani
fantasy league jabulani (clica na imagem)

Jabulani Fantasy League

Código - 361892-84570

arquivos
2010
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
28/06/2018 - Olá boa tarde . Pois gostaria de lhe ...
o craque do jogo foi o cavani
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Agora que o Mundial de futebol terminou, importa r...
Não sendo propriamente um criativo de futebol, que...
Sr. Gonçalo Sousa, você não foi para aqui chamado....
Se vais pelo número de jogos não podes por o Coent...
Isto é incrível.Qualquer merda hoje em dia tem um ...
Posts mais comentados
blogs SAPO