Sexta-feira, 25 DE Junho 2010

Agora que terminou a primeira fase do Mundial, vamos lá ver como estamos em relação aos prognósticos que fizemos, os vários editores, quando ainda a Jabulani não rolava por África:

Grupo A por Pedro Varela (1)

França e México - previsão

Uruguai e México - certeza

Grupo B por Spinafro (1)

Argentina e Grécia - previsão

Argentina e Coreia do Sul - certeza

Grupo C por João Gonçalves (2)

Inglaterra e EUA - previsão

Inglaterra e EUA - certeza

Grupo D por João Gonçalves (1)

Alemanha e Austrália - previsão

Alemanha e Gana - certeza

Grupo E por Spinafro (1)

Holanda e Dinamarca - previsão

Holanda e Japão - certeza

Grupo F por Nuno Tadeu (1)

Itália e Paraguai - previsão

Paraguai  e Eslováquia

Grupo G por Pedro Varela (2)

Portugal e Brasil - previsão

Portugal e Brasil - certeza

Grupo H por Nuno Tadeu (1)

Espanha e Suiça - previsão

Espanha e Chile - certeza

publicado por Pedro Varela às 23:18
Terça-feira, 22 DE Junho 2010

Coreia do Sul e Nigéria encontravam-se para a terceira partida em posições diferentes, mas ambas com esperanças de qualificação. Havia uma certeza, nenhuma das equipas poderia estar descansada e tinha de fazer pela vida. Grécia à distância e jogando contra uma Argentina qualificada podia estragar os planos a qualquer uma das selecções.

Num jogo arbitrado por Olegário Benquerença estamos em condições de dizer que assistimos a uma das melhores partidas do mundial. Bem disputada, com emoção e golos. A Nigéria começou melhor,  com um golo madrugador aos 12 minutos por Uche quando ainda pouco tinha feito para o merecer. Continuou com algum domínio, Obasi aos 22 minutos dispõe de nova oportunidade para aumentar o contagem para a Nigéria e quem sabe selar uma partida a seu favor e esperar pelo desfecho da mais que provável vitória da Argentina sobre a Grécia. E 10 minutos depois, a bola é enviada ao poste por Uche, que já tinha marcado, mais uma oportunidade desperdiçada pelos Nigerianos que já tinham demonstrado o suficiente para estarem a vencer. Já perto do intervalo, quando poucos podiam pensar numa alteração de marcador, a Coreia do Sul que começava a ameaçar empatava por Lee Jung-Soo e colocava-se em vantagem na passagem à fase seguinte. Até porque a Grécia continuava empatada com a Argentina. Intervalo com um empate a 1 golo, a Nigéria falhou oportunidades flagrantes e importantes que a colocaram fora do mundial.

A segunda parte foi veloz, animada e com golos. Começa com o segundo da Coreia de livre directo por Park Chu-Young, dando vantagem ao domínio que já vinha sendo exercido desde o final do primeiro tempo. A partir daqui o jogo partiu-se. Futebol total, era o tudo por tudo. Yakubu falha para a Nigéria, a Coreia responde por Park Chu-Young, depois Yakubu volta a falhar naquele poderá ter sido o falhanço do mundial. Mas como não há duas sem três, os Coreanos cometem uma grande penalidade que é convertida por Yakubu. Novo empate, nova esperança Nigeriana, embora muito ténue. Notícias do outro jogo, a Argentina marcava à Grécia. Praticamente garantido que a Coreia do Sul já só precisava de aguentar o resultado para se qualificar. Martins ainda falhou isolado mais uma oportunidade, mas estava escrito que os Coreanos não perdiam. Faltavam 2 minutos para o final e nova notícias chegavam do outro jogo, a Argentina selava a vitória sobre a Grécia com novo golo. Obinna ainda tentou nos descontos.

Final do jogo com empate que garante a passagem à fase seguinte da Coreia do Sul, melhor selecção asiática da actualidade, a Nigéria acordou tarde para uma qualificação que poderia ter discutido de outra forma. Olegário Benquerença fez um bom trabalho de arbitragem.

Homem do jogo: Ji Sung Park

publicado por Pedro Varela às 21:15
Quinta-feira, 17 DE Junho 2010

Se forem devoradores de TODOS os jogos de Mundial como nós somos de certeza que já passaram por aquela pergunta fatal: "O quê, também queres ver o jogo entre estes dois?!" Pode ser qualquer pessoa a falar de qualquer jogo que não meta nenhum favorito nem o nosso país. Da próxima vez que tiverem de justificar respondam: "SIM! Quero ver mesmo todos os jogos! Olha, quem diria que o jogo mais emocionante do Mundial até seria o Grécia-Nigéria?!"

E se o leitor já está a torcer o nariz pelo facto de falarmos de um jogo em que entra Grécia não se deixe iludir. É que hoje os rapazes de Otto Rehhagel tiveram mesmo que fazer pela vida como já vamos ver.

Minuto 14 da segunda parte (facilitando a vida a quem gravou o jogo) empate a 1 e Nigéria com menos um homem em campo por expulsão de Kaita. Bola na área africana mau alivio de Yobo deixa a jabulani à mercê de Karagounis que enche o pé e vê o golo negado pelo super guarda redes Victor Enyeama! Ainda os gregos choravam a perdida e já Obasi estava no outro lado a conduzir um contra ataque que isolou Ayegbeni em posição perfeita para fazer o golo mas Tsorvas respondeu com uma enorme defesa embora incompleta que deixou a bola pronta para Obasi brilhar... O avançado nigeriano não esteve à altura do momento e rematou para fora! Foi o melhor minuto de todo o Mundial.

Para trás tinha ficado uma primeira parte que começou equilibrada mas que rapidamente ficou a favor dos nigerianos que marcaram num daqueles livres tão tensos para área que sem ninguém tocar a bola entra. Aconteceu aos 16' por Kalu Uche.

Nesta altura a Grécia tinha 14 golos sofridos em Mundiais e zero marcados. Por isso tiveram que largar aquela irritante postura defensiva para tentarem evitar mais uma eliminação.  A tarefa estava complicada e parecia que a Grécia ia para o intervalo a perder até que Sani Kaita assinou o suicídio nigeriano com uma tentativa de agressão a um adversário que lhe valeu a expulsão tão justa quanto estúpida.

Os helénicos ganharam nova vida, saiu Papastathopoulos, um defesa, e entrou o ofensivo Samaras e acreditaram no golo que apareceu por Dimitrios Salpingidis antes do intervalo.

A 2ª parte fica bem retratada no tal minuto 14 com muita emoção e alguma sorte os gregos venceram com um golo de Torosidis muito ingrato para o guarda redes nigeriano, mesmo assim o melhor em campo para a FIFA, que não defendeu à primeira um remate aparentemente fácil de Tziolis e na recarga surgiu o golo grego.

Apesar de tudo nada está perdido para a Nigéria, uma vitória sobre a Coreia e triunfo da Argentina sobre a Grécia vale passagem.

 

Melhor em Campo:1 Vincent ENYEAMA

 

 

publicado por J.G. às 19:05

 

 

Quem tem Messi tem tudo. Podem vir todos os críticos apontar as fragilidades defensivas da Argentina, insinuar (falsamente) uma fraca liderança no banco, mas a verdade é que os Mundiais jogam-se muito nos detalhes. E uma selecção com Messi será sempre uma forte candidata ao Mundial. Em tom de brincadeira poderíamos dizer que Messi é o melhor defesa da Argentina. Afinal de contas, são as suas acções que compensam, atiram até para segundo plano, o que de mau se passa lá atrás.

Os coreanos foram dignos oponentes e, injustamente goleados, mostraram que são os mais sérios candidatos a acompanhar a alvi-celeste no apuramento para os oitavos de final. A equipa reagiu muito bem à traição do seu ponta de lança e acabou por sofrer um golo quando menos se esperava. E a Argentina voltou a demonstrar o seu imenso poderio nos lances de bola parada (alô críticos de Maradona). Podiam ter desaparecido do jogo nessa altura, mas mantiveram a alma em campo. Os deuses da sorte lá terão pensado na injustiça que haviam criado e de alguma forma intervieram na capacidade cerebral de Demichelis.

Na segunda parte prosseguiu o show de Messi, embora lá atrás se continuasse a sofrer com as investidas asiáticas. Em determinado momento a Argentina pareceu ceder, mas não havia forma dos sul-coreanos acertarem na baliza. E o velho cliché do “quem não marca sofre” encontrou, em quatro minutos, a confirmação no génio de Messi e no sentido posicional de Higuaín, a garantir o primeiro hat-trick da competição.

 

HOMEM DO JOGO: 10 Lionel MESSI

 

publicado por N.T. às 14:55
Quarta-feira, 16 DE Junho 2010

Terminada hoje a primeira jornada, e quase sem podermos respirar a segunda já está em progresso, fazemos aqui um rápido balanço do que aconteceu em cada um dos grupos.

Grupo A

O Mundial abriu com a equipa da casa a empatar diante do México. Esteve próximo de acontecer uma vitória para a Selecção anfitriã, mas Rafael Marquez estragou a festa dos africanos perto do final do desafio. Mas no outro jogo do grupo as coisas não correram de forma diferente, Uruguai e França presentearam-nos com um dos mais aborrecidos jogos (e nulos) do Mundial. Um ponto para todas as equipas, aspirações intactas para qualquer uma das selecções, tudo por decidir nos próximos desafios.

África do Sul 1-1 México

França 0-0 Uruguai

Grupo B

Este grupo marcava a estreia de um dos candidatos à vitória final, a Argentina M&M (Messi e Maradona). À partida ninguém se atreveria a não colocar a selecção Argentina como a forte candidata à vitóra no grupo. Começou o jogo diante da Nigéria com uma vitória apenas por 1-0, com uma exibição sólida mas perdulária. No outro desafio, Coreia do Sul ultrapassou com alguma facilidade e provavelmente acima do que era esperado a Grécia com uma vitória por 2-0. Vai ser interessante olhar para o encontro entre coreanos e argentinos, e perceber como decorrerão as respectivas reacções de Nigéria e Grécia.

Argentina 1-0 Nigéria

Coreia do Sul 2-0 Grécia

Grupo C

A primeira jornada deste grupo era esperada por esse confronto entre ingleses e americanos. Deu em empate, saboreado como se de uma vitória tratasse pelos rapazes da terra do "Tio Sam", bastou ver os jornais do dia seguinte nos Estados Unidos. A Inglaterra apontada este ano como uma candidata ao título, o que já não acontecia desde 1966, falhou claramente esse objectivo. Marcou cedo e cedo se apagou. Dessa noite fica o aviso que os Estados Unidos estão no mundial para discutir a passagem. No outro desafio Argélia e Eslovénia estavam a passar um pouco ao lado desta "guerra falada em inglês", deixadas para segundo plano. O encontro foi quezilento, e o golo marcado por Koren que deu os 3 pontos à Eslovénia serviu apenas para esquecermos por uns momentos o "frango" do dia anterior de Green.

Inglaterra 1-1 Estados Unidos

Argélia 0-1 Eslovénia

Grupo D

Havia enorme expectativa para ver a Alemanha, outro candidato ao título mundial, entrar em acção. O melhor desafio até ao momento, a melhor exibição de uma selecção que tem atributos e possibilidades de realmente fazer uma boa campanha. Ao contrário dos ingleses não começou bem o jogo, mas foram apenas meia dúzia de minutos até que se construísse a primeira goleada do mundial. Despacharam os "socceroos" com 4 sem resposta. A Alemanha que nunca esteve mais de 20 anos sem ganhar um mundial e que o último foi ganho em 1990. Gana e Sérvia, favoritos à luta pela segunda posição tinham um importante encontro pela frente em que os Africanos foram superiores e venceram pela margem mínima. Vai ser muito interessante ver como se irão comportar diante da Alemanha e isso poderá ser fundamental para a passagem à fase seguinte.

Alemanha 4-0 Austrália

Sérvia 0-1 Gana

Grupo E

Uma Holanda com algumas carências foi o que se viu na estreia diante a Dinamarca. Há quem veja a selecção laranja como uma das candidatas mais silenciosas ao título, há quem veja claramente uma selecção com capacidade para discutir até ao último minuto do jogo do dia 11 de Julho no Soccer City, curiosamente local onde começou a sua participação neste mundial. Para já o teste foi positivo, mas há ainda 2 jogos pela frente para mostrar as suas reais capacidades. A Dinamarca ainda não acordou. No outro jogo do grupo, mais uma demonstração que os Asiáticos estão com força pelo menos nesta 1ª jornada. Vitória sobre os Camarões com uma organização defensiva eficaz a deixar um aviso sério que não será fácil marcar golos à equipa da "terra do sol nascente". Dos Camarões o pouco que se viu foi em apenas 45 minutos, não está ainda nada perdido mas há muito trabalho pela frente, o próximo jogo contra a Dinamarca é vital para as aspirações da equipa africana.

Japão 1-0 Camarões

Holanda 2-0 Dinamarca

Grupo F

A campeã mundial, Itália, entrou em acção contra o Paraguai e o resultado foi uma meia surpresa. Arrancou um empate, já na segunda parte, praticando um futebol aborrecido. O Paraguai no seu rigor defensivo adiantou-se no marcador ainda na primeira parte e fez descer à terra a toda poderosa selecção do "catenaccio". Num grupo que se espera a qualificação destas duas selecções que se defrontaram na primeira jornada, deu também para ver uma Nova Zelândia "roubar" 2 pontos à Eslováquia. A equipa da Oceânia logrou marcar o seu primeiro golo em mundiais já em descontos. A Eslováquia que teve a vitória mesmo ali ao virar da esquina, encontrará as reais dificuldades de um mundial quando defrontar Paraguai e Itália. Tudo empatado neste grupo, mas fica a sensação que não deverá haver surpresa nos qualificados, Itália e Paraguai.

Itália 1-1 Paraguai

Nova Zelândia 1-1 Eslováquia

Grupo G

É o grupo da nossa Selecção com uma estreia apática e desmoralizadora. Ainda só passaram 90 minutos neste mundial para a Selecção Nacional, e já pensamos na calculadora para as contas da qualificação. O nulo diante da Costa do Marfim é certo que deixa tudo em aberto, mas apenas para o segundo lugar com um aditivo, a Coreia do Norte. A selecção asiática mostrou que poderá ter uma palavra a dizer nesta qualificação, e sinceramente não sei até pode chegar. O Brasil deixa uma mensagem com alguma nitidez que o primeiro lugar não lhe deverá escapar.

Portugal 0-0 Costa do Marfim

Brasil 2-1 Coreia do Norte

Grupo H

A campeã europeia, a selecção que "anda" há mais de 1 mês à procura do finalista que a irá defrontar em Joanesburgo perdeu. É a primeira grande surpresa do Mundial, derrotada diante da Suiça. Alias, em tom de brincadeira, Vicente Del Bosque se precisar poderá usar a máquina de calcular que Queirós usará dentro em breve. Mas também não devemos esquecer, isto dos mundiais é de 4 em 4 anos, que a Selecção Helvética há 5 jogos em mundiais que não sofre golos, há precisamente 484 minutos, e isso poderá querer dizer qualquer coisa. Foi o fecho da primeira jornada de forma surpreendente, onde momentos antes o Chile derrotava facilmente as Honduras. A Selecção Chilena vê agora a qualficação, que há uns dias atrás poderia ser uma miragem tornar-se numa imagem mais nítida.

Chile 1-0 Honduras

Espanha 0-1 Suiça

publicado por Pedro Varela às 22:50
Sábado, 12 DE Junho 2010

 

A Argentina chegou a este Mundial envolta num ambiente de desconfiança generalizada, mas a verdade é que respondeu bem na estreia. Maradona começou logo por surpreender no 11 retirando um dos quatro centrais anunciados na defesa para lançar o anunciado Tevez ao lado de Higuain e garantir maior amplitude de movimentos a Messi. A alteração motivou o recuo de Jonás Gutierrez, uma aposta que fazia lembrar os tempos em que Sorin asumia toda a ala esquerda da alvi-celeste e o 442 se desdobrava num 352. Jonás foi mesmo defesa direito e Heinze não ficou remetido às tarefas defensivas.


A equipa de Maradona entrou bem, marcou cedo e foi superior em todos os aspectos: mais posse de bola, mais cantos, o dobro das tentativas de remate dos nigerianos e mais bolas enquadradas com a baliza (7 contra 1). O resultado poderia, e devia, ter sido mais volumoso. Uns apontarão a (pouco habitual) ineficácia de Messi e Higuain, outros sublinharão a excelente exibição de Enyeama, aparentemente a mais no campeonato israelita.


Leo Messi, alvo de todas as atenções, ainda não foi genial, mas a sua estreia cria justas expectativas para o resto do torneio. Já Di Maria, o outro de quem se fala, pareceu perdido entre as subidas de Heinze e as movimentações dos avançados que muitas vezes caíam na sua área de intervenção. O facto da Argentina ter privilegiado o lado direito também não ajudou para que entrasse em jogo.


A grande dúvida argentina está no seu meio-campo, já que a equipa apareceu muitas vezes partida nas transições defensivas. Algo que os nigerianos não souberam aproveitar, apesar de algumas iniciativas interessantes pela esquerda, tentando explorar a menor rotina defensiva de Jonás. Mas o nervosismo africano foi evidente durante quase toda a partida, exemplificado por algumas recepções desastrosas de jogadores cuja valia técnica não é de descurar. E foi só nos últimos 20 minutos, já com Martins e Odemwingie integrados no ritmo do jogo, que as Super-Águias conseguiram pôr em sentido a defesa argentina. Mas se pregaram alguns sustos a Romero, a verdade é que o guarda-redes do AZ Alkmaar nunca foi chamado a intervir.

HOMEM DO JOGO: 1 Vincent ENYEAMA

 

 

publicado por N.T. às 18:46

Quando em 1994 a Grécia se estreou nos Campeonatos do Mundo, defrontou a Argentina e viu-se a perder ao primeiro minuto à custa do Batistuta. Se aquilo era o início de uma tradição, ela continuou hoje.

Contra uma Coreia do Sul assertiva desde o apito inicial, Seitaridis resolveu fazer uma falta tão desnecessária quanto perigosa e com a ajuda do imobilismo dos restantes companheiros defesa permitiu que Jung-Soo Lee inaugurasse o marcador no Nelson Mandela Bay em Port Elizabeth aos seis minutos. A partir dali o desempenho dos helénicos foi quase patético, sem profundidade, sem rasgo, com uma imensidão de passes e movimentos errados mas o que mais me surpreendeu foi a incapacidade táctica para reagir ao futebol mais ligado e virado para a baliza adversária de uns sul coreanos que acumularam oportunidades para ampliar a vantagem e até se poderão queixar de um penalty que o árbitro neo-zelandês não sancionou. A saída ao intervalo do criativo Karagounis não foi propriamente uma cartada corajosa de Rehagel mas o seu conjunto ameaçou reagir positivamente às alterações efectuadas, nomeadamente nos últimos 20 minutos de jogo e já a perder por duas bolas.

Os coreanos não facilitaram, baixaram a intensidade de jogo e calmamente controlaram as posições gregas de forma astuta e nunca complicativa. Marcaram três pontos na tabela e mostraram uma face agradável condizente com a sua esperança de apuramento. Quanto aos desapontantes gregos, terão de resolver a anarquia e apatia do seu meio campo se almejarem mais que as suas anteriores representações e para isso basta que marquem um golo ou pontuem.

 

HOMEM DO JOGO: 10 Park Chu-Young

publicado por Spinafro às 14:33
editado por Pedro Varela às 23:12
4 12:30 Nelson Mandela Bay - Coreia do Sul Coreia do Sul x Grécia Grécia
3 15:00 Johanesburgo - Argentina Argentina x Nigéria Nigéria
5 19:30 Rustemburgo - Inglaterra Inglaterra x EUA EUA
publicado por J.G. às 02:21
editado por Pedro Varela às 10:33
Quinta-feira, 03 DE Junho 2010

Argentina


Foi uma fase de qualificação sinuosa até ao golo de Palermo contra o Peru no dilúvio do Monumental. E de sofrimento será feita a campanha africana. A selecção das Pampas é o sonho de qualquer fã de jogadores de ataque, aqui e ali de classe mundial e aí apresentam-se Messi, Agüero, Higuaín e até Di Maria. O pesadelo, esse surge nas zonas de recuperação e construção onde o centro da defesa é débil e não existe substituto à altura para o importantíssimo Mascherano, capitão alviceleste e extensão do treinador em campo.

A Figura: Diego Armando Maradona – este não será um Mundial de jogadores, será o dos treinadores e das suas equipas. Entre os melhores, Lippi e Capello, e entre os estatutários, Dunga e Maradona, se decidirá o ceptro. No caso argentino, a figura controversa d’El Pibe é bem mais mobilizadora que a sua frente de ataque.

Nigéria

Em finais de Fevereiro, a dupla sueca Lars Lagerbäck/Tommy Soderberg foi chamada a liderar a selecção das super águias. Num grupo complicado e de quatro continentes, Taiwo, Obi Mikel, Obina e Yakubu têm na primeira jornada o desafio-chave para se poder compreender as reais capacidades destes nigerianos de sotaque nórdico que quererão ser legítimos sucessores dos heróis do EUA’94.

Jogador-Chave: Nwankwo Kanu – assinará na África do Sul o seu terceiro Mundial e o seu ocaso internacional, fará da sua experiência um trunfo.

Coreia do Sul

Não falham uma edição do Mundial desde 1996 mas jamais se esquecerão da campanha de 2002, onde fabricaram um acontecimento irrepetível. Depois de Hiddink, os sul-coreanos voltaram às raízes, vai daí Huh Jung-Moo é o homem que apontará à Grécia e Nigéria os seus tigres asiáticos.

Jogador-Chave: Ji Sung Park – o capitão, o mais experiente, o mais internacional, um jogador que alia na rapidez, na capacidade de sacrifício táctica e experiência europeia ao mais alto nível os superlativos que o tornam a figura maior.

Grécia

Talvez a única aliança helénico-germânica que tem dado grandes resultados. Desde o Euro’04, Otto Rehagel não tem desiludido os gregos, o futebol pode ser pouco atraente mas sumariza objectivos. Se Rehagel não for Merkl, que os do Olimpo se tranquilizem nos pés de Ninis, na cabeça de Katsouranis e no astuto Gekas.

Jogador-Chave: Georgios Karagounis– é o cérebro atacante da equipa. Um jogador que galvaniza o meio campo ofensivo, assiste e é letal nas bolas paradas. Vai marcar.

Opinião

A Argentina é a óbvia favorita para um dos lugares de qualificação, mesmo com algumas debilidades identificadas. O outro lugar em aberto, primeiro ou segundo, será da Grécia. Não se pense que a Nigéria e a Coreia do Sul serão meros figurantes e não serão complicados de defrontar, mas temo que estejam a um nível inferior.

publicado por Spinafro às 18:30
editado por J.G. às 21:48
Quarta-feira, 02 DE Junho 2010


ARGENTINA

 

- Guarda-redes (3): Sergio Romero (AZ Alkmaar/Hol), Mariano Andujar (Catania/Ita) e Diego Pozo (Colon).
- Defesas (7): Nicolas Otamendi (Velez Sarsfield), Martin Demichelis (Bayern Munique/Ale), Walter Samuel (Inter Milão/Ita), Gabriel Heinze (Olympique Marselha/Fra), Nicolas Burdisso (AS Roma/Ita), Clemente Rodriguez (Estudiantes) e Ariel Garcé (Colon).
- Médios (7): Jonas Gutierrez (Newcastle/Ing), Maximiliano Rodriguez (Liverpool/Ing), Javier Mascherano (Liverpool/Ing), Juan Sebastian Veron (Estudiantes), Angel Di Maria (Benfica/Por), Javier Pastore (Palermo/Ita) e Mario Bolatti (Fiorentina/Ita).
- Avançados (6): Lionel Messi (FC Barcelona/Esp), Gonzalo Higuain (Real Madrid/Esp), Martin Palermo (Boca Juniors), Sergio Agüero (Atlético Madrid/Esp), Diego Milito (Inter Milão/Ita) e Carlos Tevez (Manchester City/Ing).

COREIA DO SUL

 

- Guarda-redes (3): Lee Woon-jae (Suwon Bluewings), Kim Young-kwang (Ulsan Horang-i) e Jung Sung-ryong (Seongnam Ilhwa).
- Defesas (8): Kim Dong-jin (Ulsan Horang-i), Oh Beom-seok (Ulsan Horang-i), Kim Hyung-il (Pohang Steelers), Lee Young-pyo (Al Hilal/Ara), Lee Jung-soo (Kashima Antlers/Jap), Cho Yong-hyung (Jeju United), Cha Du-ri (Friburgo/Ale) e Kang Min-soo (Suwon Bluewings).
- Médios (8): Ki Sung-yueng (Celtic Glasgow/Esc), Kim Nam-il (Tomsk/Rus), Kim Bo-kyung (Oita Trinita/Jap), Kim Jae-sung (Pohang Steelers), Kim Jung-woo (Gwangju Phoenix), Park Ji-sung (Manchester United/Ing), Lee Chung-yong (Bolton/Ing) e Yeom Ki-hun (Suwon Bluewings).
- Avançados (4): Park Chu-young (Monaco/Fra), Ahn Jung-hwan (Dalian Shide/Chn), Lee Dong-gook (Jeonbuk Motors) e Lee Seung-yeoul (FC Seul).

NIGÉRIA

 

- Guarda-redes (3): Vincent Enyeama (Hapoel Telavive/Isr), Dele Aiyenugba (Bnei Yehuda/Isr) e Austin Ejide (Hapoel Petah Tikva/Isr).
- Defesas (7): Taye Taiwo (Olympique Marselha/Fra), Elderson Echiejile (Rennes/Fra), Chidi Odiah (CSKA Moscovo/Rus), Joseph Yobo (Everton/Ing), Daniel Shittu (Bolton Wanderers/Ing), Ayodele Adeleye (Sparta Roterdão/Hol) e Rabiu Afolabi (SV Salzburgo/Aut).
- Médios (6): Kalu Uche (Almeria/Esp), Dickson Etuhu (Fulham/Ing), John Obi Mikel (Chelsea/Ing), Sani Kaita (Alania/Rus), Haruna Lukman (AS Mónaco/Fra) e Yusuf Ayila (Dinamo Kiev/Ucr).
- Avançados (7): Yakubu Aiyegbeni (Everton/Ing), Chinedu Obasi (TSG Hoffenheim/Ale), Nwankwo Kanu (Portsmouth/Ing), John Utaka (Portsmouth/Ing), Obafemi Martins (Wolfsburgo/Ale), Obinna Nsofor (Málaga/Esp) e Osaze Odemwingie (Lokomotiv Moscovo/Rus).

GRÉCIA

 

- Guarda-redes (3): Costas Chalkias (PAOK Salónica), Alexandros Tzorvas (Panathinaikos) e Michael Sifakis (Aris Salónica).
- Defesas (9): Lukas Vyntra (Panathinaikos), Giorgos Seitaridis (Panathinaikos), Nikos Spyropoulos (Panathinaikos), Vangelis Moras (Bolonha/Ita), Avraam Papadopoulos (Olympiacos), Vasilis Torosidis (Olympiacos), Sotiris Kyrgiakos (Liverpool/Ing), Stelios Malezas (PAOK Salónica) e Socrates Papastathopoulos (Génova/Ita).
- Médios (7): Costas Katsouranis, Sotiris Ninis (Panathinaikos), Giorgos Karagounis (Panathinaikos), Christos Patsatzoglou (Omonia/Chp), Alexandros Tziolis (Siena/Ita), Sakis Prittas (Aris Salónica) e Angelos Charisteas (FC Nuremberga/Ale).
- Avançados (4): Dimitris Salpingidis (Panathinaikos), Theofanis Gekas (Eintracht Frankfurt/Ale), Giorgos Samaras (Celtic/Esc) e Pantelis Kapetanos (Steaua Bucharest/Rom).

publicado por jabulani às 18:14
Julho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
fantasy league jabulani
fantasy league jabulani (clica na imagem)

Jabulani Fantasy League

Código - 361892-84570

arquivos
2010
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
28/06/2018 - Olá boa tarde . Pois gostaria de lhe ...
o craque do jogo foi o cavani
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Olá pessoal! Estou aqui para trazer a vocês a gran...
Agora que o Mundial de futebol terminou, importa r...
Não sendo propriamente um criativo de futebol, que...
Sr. Gonçalo Sousa, você não foi para aqui chamado....
Se vais pelo número de jogos não podes por o Coent...
Isto é incrível.Qualquer merda hoje em dia tem um ...
Posts mais comentados
blogs SAPO